Desporto

Instituição precisa de mais profissionais

O Centro Nacional de Medicina do Desporto (CNMD) precisa de 90 profissionais  para garantir a avaliação a nível nacional, revelou o seu director, João Mulima, ao  intervir  no XI Conselho Consultivo Alargado do Ministério da Juventude e Desporto, realizado terça-feira em Luanda.

Fotografia: Eduardo Pedro|Edições Novembro


Segundo João Mulima, com o aumento do número de médicos fica garantida a assistência dos atletas. Com aquele número, o CNMD passaria a contar com cinco médicos para cada província.
O especialista acrescentou ainda  que o CNMD conta apenas com cinco médicos em serviço, encarregues  de avaliar os atletas em todo território nacional.
“O importante é criar centros provinciais para dar respostas, e resolver os problemas que afligem os nossos atletas. Neste momento, apenas em Luanda se presta o serviço de avaliação médica desportiva”, revelou.
Por outro lado, João Mulima destacou cinco eixos de desenvolvimento do CNMD.
No primeiro defende políticas de formação e investigação, no segundo a garantia dos recursos humanos, e no terceiro a aposta em infra-estruturas.
No quarto eixo, para trabalhar com afinco, o doutor defende a aprovação de legislação e no último a implementação da lei Anti-doping. O responsável lembrou que outras preocupações estão relacionadas com a segurança médica nos recintos desportivos.
“Todas as instalações desportiva devem estar equipadas com desfibrilhadores e ventiladores manuais, para prevenir eventuais casos de paragem cardio-respiratória de um utente”, disse.

Tempo

Multimédia