Desporto

Inter domina nacionais Sub-18 de basquetebol

Armindo Pereira

O Interclube dominou os campeonatos nacionais de basquetebol de Sub-18 masculino e feminino, com a conquista dos respectivos títulos e distinções individuais, na prova que encerrou sábado, no Pavilhão Gimnodesportivo da Cidadela. 

Polícias foram mais fortes em relação à concorrência e não deram tréguas aos adversários
Fotografia: José Cola | Edições Novembro

Depois de ter perdido na fase regular da competição organizada pela Associação Provincial da capital (APBL), contra o 1º de Agosto, a equipa feminina do Interclube conseguiu encontrar o “antídoto” para travar as campeãs provinciais e arrebatar o título nacional. 

Elisa Pires, treinadora da equipa afecta ao Ministério do Interior, revelou que foi preciso fazer um estudo do adversário para erguer o título.

Ao intervalo, as duas equipas encontravam-se empatadas a 20 pontos. O segredo da vitória, por (46-39), segundo a técnica, esteve na defesa. Por, em seu entender, terem obrigado as militares a cometerem erros sucessivos. Luísa João foi a única que atingiu a cifra dos dois dígitos (11 pontos), do lado do 1º de Agosto.  

“Depois de termos perdido na fase regular, onde claudicámos na etapa derradeira, entrámos para o jogo da final com a lição bem estudada porque aprendemos com os nossos erros. As duas equipas conhecem-se muito bem, estudámos o 1º de Agosto ao pormenor e conseguimos anular as jogadoras que fazem a diferença”, argumentou Elisa Pires. 

A extremo poste do Inter, Graciete Garcia, foi eleita a Jogadora Mais Valiosa (MVP), além de integrar o cinco ideal, ao lado da base Regina Pequena, (Inter de Benguela) e das extremos Sara Caetano (Formigas do Cazenga) e Denise Pascoal (1º de Agosto) e da poste Maria Yambe (1º de Agosto).

O troféu de Melhor Marcadora ficou com Tatiana Miguel, das Formigas do Cazenga, equipa que conquistou a medalha de bronze. 

Em masculino, Petro de Luanda e Interclube protagonizaram um bom espectáculo.Opúblico que compareceu em número considerável no pavilhão da Cidadela,nãosaiu defraudado daquele recinto. Os petrolíferos pagaram pelos erros e deixaram escapar, na fase decisiva, o título para os polícias, que venceram, por 71-67. Edmundo Ventura, adjunto de Passos Manuel, no Interclube, disse que o título é fruto do trabalho que o clube tem desenvolvido nas camadas de formação. 

“Pude observar vários jogadores com bom nível, nas distintas equipas. Devemos continuar a apostar na formação e possibilitar o surgimento de talentos”, analisou.        

O extremo Emanuel Sebastião, do Interclube, foi o Mais Valioso do nacional  mas curiosamente ficou de fora do cinco ideal. O mesmo não aconteceu com o Melhor marcador, Jonathan Salomão, extremo do ASA.

No cinco ideal, os petrolíferos dominaram com três jogadores: Alcane Paka (base), Pascoal Konde (extremo) e Ângelo Alexandre (poste). 

A lista ficou completa com Jonathan Salomão e João Cardoso extremo poste do Interclube. Em femininos, a equipa “Fair Play” foi o Inter de Benguela, enquanto que em masculinos a distinção foi para a formação vinda da província mais ao norte do país, o Sporting de Cabinda.   

Em declarações à imprensa, Carlos Júlio, presídente de direcção da AssociaçãoProvincial de Basquetebol  de Luanda, fez um balanço positivo, apesar de reconhecer que houve falhas de ordem técnica  durante a disputa do evento.


Tempo

Multimédia