Desporto

Ivo Traça admite baixa de qualidade no ataque

António Cristóvão

 Ivo Traça, treinador adjunto de Dragan Jovic, na equipa sénior de futebol do 1º de Agosto, reconheceu ontem, que os militares do Rio Seco, ao deixarem sair o avançado Geraldo, para os egípcios do Al Ahly, perderam um atleta preponderante.

Atacante vai jogar no Al Ahly
Fotografia: Vigas da Purificação| Edições Novembro

“Era um jogador influente, mas o que fazer. Por um lado, a saída de Geraldo é uma excelente oportunidade para os jovens que estão à procura de um lugar ao sol”, disse. 
Com a saída do médio, o técnico admite que a equipa pode perder qualidade nas acções ofensivas, mas deixou claro que “a vaga vai ser preenchida com um outro jovem talento”.
E citou como exemplo as saídas de Gelson Dala e Ary Papel: “as equipas têm de estar preparadas. É um grande desafio. A vida não para por aqui. Chegou o momento de abraçar outros projectos. O Geraldo já ganhou de quase tudo no 1º de Agosto”, destacou Ivo Traça.     
O extremo esquerdo assinou sábado, em Luanda, um contrato de quatro épocas e meia com o Al Ahly.
Geraldo, que conquistou três edições do Girabola com a camisola do 1º de Agosto, rubricou o contrato na presença do presidente do ex-clube, Carlos Hendrick, Paulo Magueijo (vice-presidente da agremiação do Rio Seco), Norberto de Castro (agente do futebolista) e do emissário do conjunto egípcio, Abdel Hafiz. 
O avançado é o quarto atleta angolano a ingressar na formação egípcia, depois de Avelino Lopes, Gilberto e Flávio Amado.

Tempo

Multimédia