Desporto

John Obi Mike reitera adeus às Super Águias

Honorato Silva| Cairo

A porta usada para a entrada numa das selecções mais prestigiadas do futebol africano serve, hoje, de saída ao médio nigeriano John Obi Mikel, que reiterou, quinta-feira, a decisão de abandonar as Super Águias, por concluir que chegou o momento de deixar o brilho dos holofotes para os mais novos.

John Obi Mikel abandona selecção nigeriana
Fotografia: DR

Volvidos 13 anos, desde o baptismo nas honras da Nigéria, na Taça das Nações de 2006, a quarta organizada pelo Egipto, Obi Mikel aproveita o regresso às terras dos faraós e das majestosas pirâmides, para deixar a selecção ao cuidado da geração de Ahmed Musa, Peter Etebo, Odion Ighalo e Samuel Chukwueze.
No rescaldo da festa pela conquista da medalha de bronze, face à vitória (1-0), frente à Tunísia, na quarta-feira, numa espécie de balanço da presença da Nigéria na 32ª edição da prova africana, Mikel reforçou o anúncio feito após a passagem pelos Bafana Bafana da África do Sul, nos quartos-de-final.
“Aos 32 anos, é hora de me retirar da selecção e deixar os jovens assumirem o comando. Eles fizeram um trabalho incrível, coroado com a conquista de uma medalha de bronze”, escreveu o jogador, numa espécie de anúncio oficial, na sua página no Instagram, quinta-feira.
Depois da estreia em 2006, John Obi Mikel fez um percurso notável com as Super Águias, cujo ponto alto foram as presenças em dois mundiais; apesar de agora, na despedida, ter sido utilizado em apenas dois jogos. “A minha carreira nas selecções começou em 2003, no Mundial de Sub-17. Agradeço à selecção por me ter colocado na arena mundial e dar a oportunidade de mostrar a minha habilidade, bem como ter uma assinalável carreira internacional”, afirmou.

Carinho dos adeptos

O médio transferido recentemente do Middlesbrough, da segunda divisão inglesa, para os turcos do Trabzonspor, seu novo foco desportivo, estendeu o apreço aos adeptos: “Obrigado a todos os meus admiradores nigerianos e ao meu país, por toda a confiança, apoio e amor que me demonstraram nos últimos 15 anos.”
Em 94 partidas realizadas com a camisola das Super Águias, Obi Mikel apontou sete golos. Representou os Sub-20 no Mundial de 2005, no qual venceu a “Bola de Prata”, por ter sido o segundo melhor jogador da prova, atrás do argentino Lionel Messi.
O primeiro jogo pelos seniores da Nigéria aconteceu a 17 de Agosto de 2005, ao ser lançado no segundo tempo, no triunfo (1-0) sobre a Líbia, em amistoso. Fez parte do plantel que conquistou o quarto título continental da Nigéria, em 2013 na África do Sul, sob a batuta do já falecido Stephen Keshi, a quem pretendia homenagear, com a consagração no Egipto.

 

Tempo

Multimédia