Desporto

Jovem angolano aposta na inovação tecnológica

Armindo Pereira

Com a finalidade de agregar valor ao Campeonato Nacional sénior masculino de basquetebol, o jovem angolano Ivan Mendes criou o portal “Angola Baskteball”, que permite aos amantes da modalidade encontrar conteúdo diferenciado, uma iniciativa com reconhecimento da FIBA África.

Projecto de Ivan Mendes (à direita) oferece conteúdo diferenciado aos amantes da bola ao cesto
Fotografia: DR

A ideia do estudante universitário surgiu em Outubro de 2018, quando decidiu criar algo que fosse abrangente a diversos públicos, na rede social Instagram. Em declarações ao Jornal de Angola , Ivan revela que os jogadores aprovaram a criação do projecto e foram eles os responsáveis pelas primeiras partilhas.

Vídeos dos melhores momentos de todas as equipas, entrevistas com os protagonistas, fotos, calendários e classificação são os conteúdos da plataforma. Não tardou a equipa foi contactada por um dos responsáveis pela comunicação da entidade que rege a modalidade no continente, Lanime Badian Kouyaté, na véspera da viagem para Luanda.
Foi marcada uma reunião. Em causa estava a realização da quinta janela do Torneio Africano de Qualificação para a 18ª edição do Campeonato do Mundo sénior masculino de basquetebol,China'2019, no Pavilhão Multiusos do Kilamba, no mês de Novembro, em Luanda.

Coube ao portal Angola Baskteball fazer a transmissão da conferência de imprensa em tempo real, via Internet, tecnicamente designado por “live streaming”, na linguagem cibernética. “Não cobramos absolutamente nada”, revelou.
Foi o trampolim que Ivan Mendes e o companheiro de trabalho Yanick Tomás precisavam para dar maior visibilidade ao projecto pioneiro e aumentar o número de seguidores: “Nunca pensei que fosse vir a ser contactado por uma instituição como a FIBA África. Passei a ter mais noção da importância do nosso trabalho”, disse.

Todo o trabalho é realizado pelos próprios, com o auxílio de um designer gráfico encarregado de dar o “toque artístico” às publicações. Questionado sobre uma possível sobrecarga de tarefas, o criador falou sobre a dificuldade de encontrar “pessoas sérias” para colaborar.
Foram incentivados a continuar, pois no entender da entidade africana o projecto tem tudo para alcançar outros patamares. Actualmente, o “angolabasketofficial” tem mais de 670 publicações no Instagram e um total de 6.382 seguidores.

Desde então, a dedicação do estudante universitário passou a ser integral, ao ponto de abdicar do emprego que possuía na altura para dedicar-se ao portal auto-financiado. Os parceiros no projecto contam que nunca tiveram qualquer suporte financeiro externo.
A evolução dos basquetebolistas angolanos no exterior merece igualmente destaque, com a publicação de conteúdos semanalmente: “Temos boa relação com os jogadores a militar lá fora. Nós pedimos e eles enviam o material compilado. Os internautas podem assistir os vídeos , numa resolução com qualidade gráfica”, revelou Mendes.

O segundo grande feito do portal, para o jovem angolano, aconteceu quando fizeram a transmissão em directo do jogo que consagrou pela nona vez o 1º de Agosto como campeão da AfroLiga em basquetebol sénior masculino, após derrotar o AS Salé do Marrocos, por 83-71, no Pavilhão do Kilamba, em Maio do ano passado.

A crença e determinação têm sido as peças-chave para a manutenção da página, quer no Instagram quer no Facebook. A meta é tornar a plataforma na maior referência em África. Para tal, pretende fazer um investimento em material técnico de ponta, além de precisar de apoio institucional, de modo a oferecer um produto com maior qualidade.

No entanto, lamentou o facto de nunca ter sido contactado por nenhum responsável da Federação Angolana da modalidade. “Neste tipo de projecto o apoio institucional é fundamental, caso contrário o número de barreiras é cada vez maior”, disse.
O jovem elogiou o trabalho feito pelos departamentos de Marketing do 1º de Agosto e Petro de Luanda nas redes sociais, mas entende que deviam fazer mais, pelo facto de existir um orçamento cabimentado para tal.

Mas, não pensa o mesmo em relação ao Interclube. Ivan contactou algumas entidades da formação afecta ao Ministério do Interior. Apresentou uma proposta para revitalizar a página de basquetebol. Numa primeira fase estaria disposto a trabalhar até ao final da época a custo zero.
“Estamos a falar do clube mais titulado a nível do basquetebol sénior feminino, com créditos firmados no continente. Tudo que eu precisava era um espaço. Após a reunião recebemos luz verde, mas desde então nunca mais voltei a ser contactado pela pessoa em causa”, lamentou.

Tempo

Multimédia