Desporto

Judoca Faia distinguida com diploma de mérito

A antiga judoca angolana Antónia de Fátima Soares Moreira “Faia”, de 36 anos, foi esta semana premiada pelo Comité Olímpico Internacional, com o diploma de mérito, pela sua contribuição em prol da modalidade e do desporto em geral. 

Fotografia: José Soares | Edições Novembro

No documento enviado pela mais alta entidade do olimpismo mundial, assinado pelo seu presidente Thomas Bach, pode ler-se que a atleta angolana é distinguida como mulher de mérito, no âmbito do prémio Internacional Mulher e o Desporto, edição de 2018, em reconhecimento pela sua notável contribuição à promoção e participação de mulheres nas actividades desportivas.
Actual praticante de MMA e treinadora de atletas jovens, na disciplina de judo, no clube 1º de Agosto, Faia foi inscrita pelo Comité Olímpico Angolano (COA), para concorrer ao troféu continental e mundial, instituído com o fito de reconhecer homens e mulheres que demonstrem “um genuíno compromisso na promoção da igualdade do género”, por via do desporto.   
Antónia de Fátima “Faia” sagrou-se várias vezes campeã nacional e africana de judo, modalidade que praticou durante 28 anos, antes de trocar pela MMA, disciplina que sempre acompanhou e quis praticar, quando terminasse a  sua brilhante carreira de judoca.
Conhecido, há alguns anos atrás como “vale tudo”, o MMA aglutina quase todas as artes marciais, sendo a nova aposta da antiga campeã nacional e continental de judo, depois de passagens pelo karaté e kickboxing, durante mais de 5 anos.


Tempo

Multimédia