Desporto

Laterais tricolores podem reforçar clube europeu

Teresa Luís

A primeira linha da equipa sénior feminina de andebol do Petro de Luanda pode ficar fragilizada, com a eventual contratação das meia-distâncias direita, Aznaide Carlos, e esquerda, Magda Cazanga, pela equipa do RK Krim da Eslovénia.

Aznaide Carlos pode abandonar o Petro de Luanda
Fotografia: José Cola | Edições Novembro

Contactado pelo Jornal de Angola, o técnico petrolífero, Vivaldo Eduardo disse que as negociações entre as duas formações estão a decorrer, mas ainda há detalhes a serem acertados, embora tenham anunciado como facto já consumado.
“Os agentes das jogadoras ainda não acertaram nada com o clube. Por outro lado, elas estão sob contrato”. Questionado sobre as fragilidades que podem surgir no sector ofensivo das petrolíferas, Vivaldo afirmou: “a equipa técnica está preparada, mas não será a mesma coisa. As saídas não serão um obstáculo”. A eventual contratação das andebolistas é, na visão do técnico, um ganho para a modalidade, “estamos minimamente preparados para em pouco tempo tornar a equipa competitiva”, assegurou.
“Caso o desfecho das negociações seja favorável para as jogadoras e a direcção do clube achar conveniente, da nossa parte,  enquanto técnicos, será uma boa opção. Independentemente do que aconteça depois, existe a possibilidade delas reforçarem a equipa nas principais competições, mas depende de quem for negociar”, realçou.
Quanto a possibilidade da direcção do Petro encaixar valores com a transferência diz: “o problema  está a ser discutido. Mas creio que sim, porque ainda têm contrato. Desconheço o valor, mas tem a ver com a disponibilidade financeira da equipa europeia”.

Tempo

Multimédia