Desporto

Leonel Pinto defende maior investimento

Armindo Pereira

O presidente do Comité Paralímpico Angolano (CPA), Leonel da Rocha Pinto, defende um maior investimento à Selecção Nacional de Futebol para amputados, de modo a conservar o seu potencial nos próximos compromissos internacionais, depois da conquista do Campeonato do Mundo, em Guadalajara, México.

Fotografia: Contreiras Pipa| Edições Novembro

A intenção foi manifestada ontem, em Luanda, na cerimónia de recepção aos campeões do mundo, promovida pelos administradores do  Grupo BAI. No evento, atletas e equipa técnica apresentaram à Fundação com o mesmo nome, enquanto parceira do CPA, o troféu arrebatado no último domingo.
“Com esta conquista, temos de continuar a mostrar que somos os melhores e, para tal,  é necessário fazer um investimento. Isso passa pela criação de condições para que estes atletas possam manter os níveis técnicos, físicos e mental”, sublinhou Leonel Pinto.
O controlo da dieta alimentar, a necessidade permanente diálogo com os jogadores e sensibilizá-los para a importância de se saber gerir este momento de homenagens, foram outros aspectos realçados pelo presidente do CPA. “Têm de saber lidar com a fama”, aconselhou.         
A longa trajectória, segundo ainda Leonel Pinto, é fruto do trabalho árduo e dedicação dos próprios atletas, nas distintas competições em que estiveram envolvidos ao longo destes anos. Celestino Elias, médio centro da Selecção Nacional e Melhor Jogador do mundial, foi um dos exemplos citados. 
“Estes são os melhores atletas do mundo e, para nós, são muito importantes, porque estamos a falar de uma conquista que vem coroar o 24º aniversário do CPA, a assinalar-se amanhã, sem esquecer o aniversário da nossa Independência, dentro de alguns dias”, concluiu.
Por seu turno, Paula Silva, directora de projectos da Fundação BAI, considerou a conquista um feito que orgulha o país. O responsável garantiu, por outro lado, que a instituição financeira vai manter a parceria com o CPA.

Tempo

Multimédia