Desporto

Libolo e Sagrada disputam desafio de cartaz em Calulo

António de Brito

As formações do Recreativo do Libolo e do Sagrada Esperança capitalizam hoje às 15h00, no Estádio Municipal de Calulo, as atenções para o jogo de cartaz de abertura da quinta jornada do Girabola 2018/19, numa tarde que reserva ainda os desafios Progresso Sambizanga-FC Bravos do Maquis e Saurimo FC-Sporting de Cabinda.

Libolenses e sambilas, cujo clube enfrenta dificuldades financeiras, partilham o mesmo objectivo
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro | porto

Libolenses e “diamantíferos” disputam um jogo de nível de exigência máxima, visto que estão separados por um ponto na tabela classificativa, sendo que a formação do Cuanza-Sul ocupa a sexta posição, com cinco pontos, ao passo que o conjunto da Lunda-Norte aparece em quinto lugar, com seis pontos.
Esta partida tem ainda a particularidade de colocar frente a frente duas equipas que na ronda anterior empataram os respectivos encontros. O Libolo empatou (2-2) diante do Caála, enquanto o Sagrada também repartiu pontos, mas a uma bola com o Progresso Sambizanga.
A jogar na condição de visitada, a equipa de Sérgio Boris persegue a segunda vitória caseira, pelo que os comandados de Agostinho Tramagal têm, para já, uma missão espinhosa, num terreno onde o Libolo só perdeu dois jogos na época passada.
Na presente edição do campeonato, a equipa de Calulo venceu um e empatou outro.
Fora de portas, a formação “diamantífera” ainda não teve o ensejo de conseguir a  primeira vitória, tendo um registo de dois empates.
Com esses condimentos, o jogo promete ser disputado e de favoritismo repartido, uma vez que os contendores definiram como meta a disputa dos cinco primeiros lu-gares da competição.  Em relação aos jogos realizados para o campeonato, o Libolo leva uma clara vantagem, com saldo de nove vitórias, uma derrota e seis empates. Na vila de Calulo, o Sagrada só conseguiu “garimpar” uma única vez, ao derrotar o adversário por 1-0, em 2010.
Como forasteiros, os libolenses nunca perderam qualquer desafio diante dos lundas, com um somatório de três vitórias e seis empates.

Progresso recebe Maquis
No Estádio Municipal dos Coqueiros, o Progresso Sambizanga recebe o FC Bravos do Maquis às 17h00, num jogo bom de se ver e de equipas que disputam a manutenção, depois de no ano passado terem assegurado a permanência a duas jornadas do fim do campeonato.
Uma eventual vitória sobre o Maquis permite ao Progresso assumir à condição a liderança do campeonato, com 11 pontos. Apesar de os atletas do Progresso não abraçarem a greve, a vontade de vencer o Maquis é maior, para fazer esquecer os problemas financeiros por que passam há seis meses.
Frente aos maquisardes, o treinador Guilherme de Sousa “Matateu” procura a primeira vitória, depois de ter-se estreado com empate (1-1) na partida com o Sagrada Esperança. “Matateu” sucedeu no cargo a Hélder Teixeira, já que a direcção presidida por Paixão Júnior teve de rescindir o contrato de trabalho, porque não tem condições financeiras para pagar os salários do treinador. Daí o motivo da rescisão amigável do vínculo contratual com o técnico Hélder Teixeira, que estava a fazer um excelente trabalho.
Dos 22 jogos disputados, o FC Bravos do Maquis detém o recorde de vitórias, uma vez que venceu dez, perdeu cinco e empatou sete. Em 2017, a formação sambila protagonizou a maior goleada de sempre sobre o adversário, ao vencer por expressivos 4-0, em Luanda.
O Saurimo FC e o Sporting de Cabinda defrontam-se às 15h00, no Estádio das Mangueiras, com o favoritismo a recair para a formação da Lunda-Sul, após a derrota caseira por 0-1 diante do Cuando Cubango FC.
Atendendo aos propósitos da equipa caseira, as possibilidades de o Sporting pontuar no reduto adversário são bastante remotas, pois o Saurimo não pretende perder dois jogos seguidos em casa. Este é o primeiro jogo oficial entre os contendores, já que o Saurimo FC compete pela primeira vez no Girabola.
Amanhã, para o fecho da jornada, o realce vai para a partida entre a Académica do Lobito e o 1º de Agosto, às 15h30, no Estádio Nacional de Ombaka. O Petro de Luanda defronta o Recreativo da Caála às 16h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro. O Cuando Cubango joga com o Desportivo da Huíla às 15h00, no Estádio dos Eucaliptos, ao passo que o ASA mede forças com o Interclube às 18h00, nos Coqueiros.

Tempo

Multimédia