Desporto

Luanda alberga torneio internacional de Jiu-jitsu

Teresa Luís

O “Grupo Studio 123” organiza esta época um total de seis torneios de Jiu-jitsu, disputados em ambos os sexos, entre os meses de Março a Dezembro, em Luanda, com a participação de atletas nacionais e estrangeiros.

Lutadores nacionais e estrangeiros vão evoluir na prova designada Survivor (sobrevivente)
Fotografia: José Cola|Edições Novembro

Luanda Open Season Tournament “Lost” (Março), An-gola Grappling Tournament (Maio), Cacimbo Open (Julho) e  a Copa Lobão (Outubro), são os quatro eventos de estilo aberto, ou seja, qualquer academia pode inscrever lutadores dos 4 aos 42 anos.
O Survivor (Agosto) e Duelo de “Titãs” (Dezembro) são fechados, só participam os atletas convidados pela organização. Ainda em Dezembro, acontece a segunda edição da gala de “Jiu-jitsu Angola Awards”, visando a premiação dos competidores que se destacarem no decorrer do ano.
Segundo o porta-voz do “Grupo Studio 123”, Walter Faustino “Lobão”, os torneios abertos são disputados no Arena Multiusos do Kilamba e os fechados no Complexo Paz Flor.
“No Kilamba esperamos ter dois a três mil espectadores, enquanto no Paz Flor o público é seleccionado. Não mais de 400 assistentes. O Duelo de Titãs é realizado pela segunda vez, entre as academias rivais. Uma espécie de tirateimas. Em relação ao Survivor vamos convidar oito atletas estrangeiros de países africanos, cujo molde de disputa é eliminação directa”, disse.
Na presente época, “Grupo Studio 123” pretende  agregar mais entretenimento às competições, no sentido de atrair mais público. “Vamos criar outras áreas para as pessoas estarem mais socializadas. Queremos proporcionar novas experiências e bons momentos, numa combinação de desporto e cultura.  A ideia é inovar sempre, por isso temos quebrado recordes. No ano passado tivemos seis áreas de lutas (620 atletas). Nesta edição podemos movimentar um número maior de atletas”.
Matilha BJJ, Fred Gracie, Dodo jiu-jitsu, Gracie Barra, Aliança do Tatame, Z1 Academy, Alliance Angola, GF Team, Calasans BJJ, PTT são as equipas a serem inscritas nos distintos torneios.
Além dos lutadores de Lu-anda, a organização aguarda também pela participação massiva dos de Benguela e Lubango, nas categorias pré-mirim, mirim, infantil A e B, infanto-juvenil A e B, juvenil, adulto e master.
Relativamente à Lost as inscrições arrancaram a 1 do corrente e encerram a 17 de Março e podem ser feitas através da plataforma digital “balus. org”. A meta é inscrever o maior número de atletas nas distintas categorias e garantir a presença de espectadores em cada evento.
Em termos organizativos, estão criadas as condições para o êxito do torneio, embora o “Grupo Studio 123” aguarde pelo “feedback” dos patrocinadores. Os vencedores das faixas preta e “marron” recebem 50 mil kwanzas, rocha (40 mil) e azul (30 mil). “ É uma espécie de estimulo além das medalhas e troféus. No final da temporada reservamos outros prémios para os melhores colocados do ranking. Por exemplo um bilhete de passagem para o Campeonato do Mundo de 2020 em Abu Dabhi”, concluiu.
Campeão africano em 2011, 2012 e 2013, e do mundo, para além de vencedor de várias medalhas de ouro em torneios internacionais, em Paris (Fran-ça), Roma (Itália), Copenhaga (Dinamarca), Abu Dabhi (Emirados Árabes Unidos) dentre outro países, Walter Faustino "Lobão" que luta na categoria de menos de 82 quilogramas é o primeiro africano a ser patrocinado pela Koral.
Além de lutador, “Lobão” é empreendedor na área do  desporto através do “Grupo Studio 123” e a “balus.org”.

Tempo

Multimédia