Desporto

Lutadores querem brilhar no Mundial de Abu Dhabi

Victor Hugo (faixa roxa, 76 kg), Walter Santos e Rúben Lemos (cinturões preto +94 e - 94 kgs), e Pedro Godinho (cinturão preto master, 77kg), disputam a partir de hoje até 28 do corrente, a 11ª edição do Campeonato do Mundo de Jiu-jitsu, na Arena Mubadala, Abu Dhabi, Emirados Árabes Unidos (EAU).

Victor Hugo almeja títulos
Fotografia: DR

A ida dos atletas angolanos ao maior torneio da modalidade, segundo a Angop, resulta de um convite formulado pela federação internacional. José Santana (cinturão preto master,77 kg), Eliote Pinto, Fady Saad e Maria Dituala (faixas castanha, 69,79 e 60 kg) também integram a lista de convidados.
O campeonato patrocinado pelo príncipe herdeiro, Sheikh Mohamed Bin Zayed Al Nahyan, tem na presente edição um aumento na ordem dos 12 por cento de faixas-preta, comparativamente a 2018.
Segundo a organização, os competidores do Brasil, Reino Unido, Estados Unidos e Emirados Árabes são os candidatos ao título, ao passo que os de Angola, Arábia Saudita, Jordânia, Rússia e Cazaquistão, os aspirantes.
A federação dos EAU anunciou que as semi-finais e finais das categorias castanho e faixa preta serão disputadas com três árbitros, por tapete. O aumento do número de juízes visa eliminar erros na pontuação e garantir partidas mais justas.
“É o evento mais importante do calendário internacional de jiu-jitsu. Entrámos para a segunda década, após 10 anos de sucesso”, lê-se no site da prova.
Angola participa no Mundial desde 2011, e Walter Faustino “Lobão” conquistou o título no ano seguinte, na categoria dos 82 kg, faixa azul. Na edição seguinte, Leonel Terramoto venceu nos +de 100 kg, faixa azul, enquanto Catarina Araújo é detentora do troféu na categoria dos 60 kg, faixa roxa, feito alcançado em 2016.

Tempo

Multimédia