Desporto

Mais de cinco décadas de história e onze edições

Teresa Luís| Rabat

Os Jogos Africanos são um evento multi-desportivo que são disputados há cinco décadas, a cada quatro anos, com encontro exclusivo dos atletas do continente.

Cidade de Rabat é a capital da juventude desportiva africana
Fotografia: DR

Os primeiros ocorreram em Brazzaville, 1965, e possuem o reconhecimento do Comité Olímpico Internacional (COI).As primeiras tentativas de realização dos Jogos datam de 1925, Argel, e depois Alexandria, 1928. Apesar de toda a preparação, registou-se um atraso de três décadas. O primeiro africano membro do COI, o velocista Angelo Bolanaki, doou fundos para erguer um estádio, de modo a mitigar a situação, mas sem o efeito desejado.
No início de 1960, os países francófonos organizaram os “Jogos da Amizade”, em Madagáscar. No ano seguinte, a Costa do Marfim sediou a segunda edição e o Senegal a terceira. Antes da conclusão, os ministros da Juventude e Desportos reuniram-se em Paris, visando a inclusão das nações de língua inglesa.
A prova passou a ser denominada “Jogos Pan-Africanos” e reconhecida pelo COI. Até à edição de 1987, guerras e problemas técnicos adiaram, transferiram e cancelaram as edições seguintes.
Instituídos em 1965, em Brazzaville, a União Africana (UA), chamou a si a organização do evento, mas com um pendor governamental, contrariamente à actual realidade, cujo principal foco é a competição.
O Egipto conquistou o maior número de medalhas na edição pioneira, onde participaram 500 atletas. Quatro anos depois, foi a vez de Bamako, mas adiada. Em 1973, Lagos sediou os Jogos. Os egípcios voltaram a dominar o quadro de medalhas.
Em 1978,  Argel, 45 nações marcaram presença, mas a cimeira ficou marcada pela desistência dos faraós, por desentendimento com os libaneses. A Tunísia dominou em medalhas.
A seguir o evento registou um interregno de quase dez anos, motivado por guerras civis e conflitos. Nairobi acolheu a competição em 1987, onde mais uma vez os faraós foram os mais eficazes. Os Jogos da capital queniana marcam a estreia de Angola.
Decorridos quatro anos, no Cairo, a Namíbia participou pela primeira vez e alcançou o nono posto da tabela. Em 1995, Harare, foi a vez de a África do Sul arrecadar o maior número de medalhas.
Na edição seguinte, em Joanesburgo, o netball foi a modalidade estreante. A cerimónia de abertura contou com espectáculos de dança e parábolas dos guerreiros zulus. Em 2003, Abuja, os nigerianos conquistaram mais medalhas.
A nona edição, 2007, Argel, os egípcios tomaram de assalto o quadro de medalhas.
A Argélia tornou-se a primeira nação a receber os Jogos mais de uma vez. Em 2011, Maputo, os sul-africanos ofuscaram os faraós. Moçambique acolheu a competição, em substituição da Zâmbia.
Nos 50 anos de disputa dos Jogos, em 2015, na cidade de Brazzaville, os egípcios ganharam mais medalhas. O Congo e a Argélia são os únicos países que sediaram duas edições.

Tempo

Multimédia