Desporto

Mais de 500 atletas da CPLP disputam a XI edição dos jogos

Armindo Pereira | São Tomé

Mais de quinhentos desportistas em ambos os sexos, em representação de Angola, Portugal, Brasil, Cabo Verde, Timor Leste e São Tomé e Príncipe, país anfitrião, começam a disputar de hoje até 28 do corrente, a XI edição dos Jogos da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP).

Ausentes da cimeira desportiva lusófona, por razões desconhecidas, estão a Guiné-Bissau e a Guiné Equatorial. A missão angolana, representada por 79 pessoas entre atletas, treinadores e corpo clínico, assume o desejo de melhorar o terceiro lugar, prestação alcançada em 2016, em Cabo Verde.
Concebidos para jovens com idades até 16 anos, os jogos têm como objectivo o reforço da solidariedade entre os povos dos países membros da comunidade, assim como a promoção do espírito de fair-play.
Angola participa na festa com as modalidades de futebol, basquetebol, voleibol de praia, atletismo, taekwando e atletismo adaptado. A cerimónia de abertura está agendada para as 15h00, no Estádio Nacional 12 de Julho, e é presidida pelo primeiro-ministro são-tomense, Patrice Trovoada.
Em declarações aos órgãos de comunicação social, o dirigente assegurou a existência de  condições para o arranque da competição.
“Os jogos vão decorrer nas melhores condições de segurança, alojamento, alimentação e de alegria”, explicou o chefe do Executivo são-tomense.
O governante lembrou que, apesar das limitações, o arquipélago contou com o apoio de alguns países para criar as melhores condições de comodidade. O Liceu Nacional é o local onde está instalada a “Aldeia Olímpica”.
A delegação brasileira foi a última a escalar a capital são-tomense. Um total de 3.600 efectivos do Comando Geral da Polícia local assegura a prova juvenil da comunidade.
“Somos um país que vive em paz, com um índice muito baixo de criminalidade, comparando a outros países. Conseguimos ser um dos campeões africanos na luta contra o paludismo. Nos últimos anos, melhorámos as condições de infra-estruturas desportivas e temos uma política de abertura para o mundo”, explicou Patrice Trovoada.
Por seu turno, Tiago Rodrigues, o ministro da Educação de Portugal,  presidente da Conferência de Ministros da CPLP,  disse que a aposta de São Tomé na realização dos jogos é bem vista pela comunidade e  reconhece o esforço do Governo local para o êxito da prova.
“Portugal está, desde o primeiro momento, presente a apoiar esta iniciativa. São Tomé e Príncipe está muito bem acompanhado, com o empenho de cada um dos nove Estados membros da CPLP, que resultam em contribuições valiosas concretas”, lembrou Tiago Brandão Rodrigues.
Nesta altura, estão na capital são-tomense pelo menos 650 pessoas entre atletas, equipas técnicas, dirigentes desportivos e jornalistas.

Sub-17 joga com anfitriã   
A Selecção Nacional Sub-17 de futebol joga hoje, às 18h00, com a sua similar de São Tomé e Príncipe, no Estádio Nacional 12 de Julho, no desafio que assinala a abertura da XI edição dos Jogos da CPLP, a decorrer no arquipélago até 28 do corrente.
Silvestre Pelé, seleccionador nacional, antevê uma partida difícil, por se tratar da equipa da casa, mas revela que os seus rapazes estão preparados para contrariar o favoritismo teórico dos são-tomenses.
“Vamos entrar para esta partida com a humildade que nos é característica. No treino de ontem, no palco do jogo, realizámos as correcções de alguns aspectos. A nossa meta é começar o torneio com uma vitória”, argumentou.

Tempo

Multimédia