Desporto

Mercedes destaca StephanieTraveres

A scuderia Mercedes voltou a demonstrar um gesto importante na luta contra o racismo ao escolher Stephanie Travers, do Zimbabwe, engenheira de combustíveis, para subir ao pódio com Lewis Hamilton, domingo último, no GP da Estíria, após a primeira vitória do piloto britânico.

Zimbabweana de 25 anos é formada em engenharia química
Fotografia: DR

Esta foi a primeira vez que uma mulher negra participou da cerimónia de entrega de prémios na história da Fórmula 1. O hexacampeão, que logrou a 89ª vitória na Áustria, usou as redes sociais para exaltar o papel de Stephanie, na agremiação.

“Eu queria postar isso porque é um momento muito importante. Esta é Stephanie, uma das minhas companheiras de equipa, é uma das engenheiras de fluidos na pista. No domingo tornou-se a primeira mulher negra na história da Fórmula 1 a subir ao pódio. Esta é uma conquista incrível e eu só queria reconhecê-la pelo trabalho duro, positividade e paixão naquilo que faz “, escreveu Hamilton.

O britânico explicou que a maioria dos empregos nos desportos motorizados têm diversas exigências, razão pela qual a engenheira foi seleccionada entre mais de 7 mil candidatos.

Segundo Lewis, Stephanie quer inspirar crianças negras e não só a acreditar que também podem fazer isso.

Travers, 25 anos, nasceu em Harare, capital do Zimbabwe. A trabalhar na equipa alemã desde 2019, formou-se em engenharia química pela universidade de Bradford, na Inglaterra, com honras de primeira classe. Do currículo consta ainda um mestrado na especialidade de engenheira química pelo Imperial College de Londres.

Tempo

Multimédia