Desporto

Militares e petrolíferas decidem Taça de Angola

Teresa Luís

O 1 º de Agosto está a um passo de fazer o pleno, em termos de conquistas a nível doméstico, caso vença hoje, às 16h30, o Petro de Luanda, no Pavilhão Principal da Cidadela, em partida referente à final da Taça de Angola em andebol sénior feminino.

Fotografia: Kindala Manuel | Rdições Novembro

Depois de vencerem a Supertaça “Francisco de Al-meida”, Campeonato Provincial de Luanda e o nacional, as militares às ordens de Morten Soubak estão determinadas em conquistar o último título em disputa, ante ao nulo das petrolíferas de Vivaldo Eduardo.

Apesar do desequilíbrio na constituição dos plantéis, onde as rubro e negras contam com um conjunto mais homogéneo, diferente das tricolores, ainda assim as rivais repartem o favoritismo na luta pelo segundo maior troféu da época. Em dia de decisão, um momento de inspiração de qualquer uma das formações pode determinar a vencedora. Por tratar-se de um encontro entre as melhores equipas do país e do continente, aguarda-se por uma partida renhida, cujo desfecho se antevê imprevisível.
Eneleidys LLoveras (guarda-redes), Albertina Kassoma (pivô), Janeth Santos (ponta esquerda), Juliana Machado (ponta direita), Isabel Guialo "Belinha" ( central), Cristiane Mwasessa (lateral esquerda) e Natália Bernardo (lateral direita) podem integrar o “sete” inicial do 1º de Agosto.
Teresa Almeida “Bá” (gua-rda-redes), Edith Mbunga (pivô), Joana Costa (ponta direita), Manuela Paulino (ponta esquerda), Marília Quizelete “Inglesa” (central), Magda Cazanga (lateral esquerda) e Aznaide Carlos (lateral direita) constituem provavelmente o “sete” inicial do Petro de Luanda.

Tempo

Multimédia