Desporto

Militares apresentam hoje plantel aos sócios e adeptos

António de Brito

A equipa do 1.º de Agosto apresenta o plantel aos sócios e adeptos em treino colectivo, a ser realizado hoje, às 15h00, no Estádio França “N'dalu”, tendo em vista o jogo da Su­pertaça de Angola, diante do Petro de Luanda, marcado para domingo, no Estádio Nacional 11 de Novembro, na abertura da temporada futebolística de 2018.

Equipa do Rio Seco mostra argumentos técnicos e tácticos elaborados no estágio em Benguela
Fotografia: M.Machangongo| Edições Novembro

O técnico Zoran Maki opta pelo colectivo, de modo a testar os processos de jogo, corrigir imperfeições e definir o “onze” tipo a utilizar no desafio com os tricolores do Eixo Viário.
Depois dos amistosos realizados durante o estágio em Benguela, Zoran Maki trabalha uma equipa para se im­por diante do Petro de Luan-
da, apesar de o corpo técnico aguardar pelo desfecho do recurso apresentado à direcção da FAF, sobre a suspensão de Paizo, Dany Massunguna, Nelson Luz, Geraldo, Buá, Natael e Chow, alegadamente por falharem os trabalhos dos Palancas Negras, que competiu no CHAN de Marrocos.
Contactado pelo Jornal de Angola, Ivo Traça, treinador-adjunto do 1º de Agosto, realça o espírito que norteia a equipa, quando se aproxima o primeiro jogo oficial da época desportiva. “Estamos a trabalhar com plantel de 29 jogadores. Se o castigo não for levantado pela FAF, depois de termos recorrido. Penso que, com o trabalho que está a ser feito, temos jogadores à altura para substituí-los”, garantiu o técnico assistente.
Frente aos “petrolíferos”, os “militares” pretendem manter o troféu em sua posse, apesar de reconhecerem o valor do opositor. “Seja qual for o adversário, nós entrámos sempre com o pensamento na vitória. Estamos a trabalhar um grupo capaz de vencer o primeiro troféu da nova época desportiva diante do Petro, embora o jogo se afigure difícil”.
Dos jogos de controlo disputados, comparativamente à equipa petrolífera, o 1.º de Agosto contabilizou apenas vitórias, frente ao Nacional de Benguela (9-0), Jackson Garcia (5-0), Académica do Lobito (4-0), Desportivo da Huíla (3-2 e 1-0), Domant do Bengo (1-0) e Sagrada Esperança (3-1).
Em quatro amistosos, o Petro de Luanda venceu o Jackson Garcia de Benguela (6-2) e Nacional de Benguela (3-0), tendo empatado com a Académica do Lobito (1-1) e idêntico resultado alcançado no jogo da apresentação do plantel no sábado, frente ao Domant do Bengo.
Com o treinador Zoran Maki trabalham os seguintes jogadores: Tony Cabaça, Neblú, Julião, Dani Massunguna, Geraldo, Buá, Isaac, Gogoró, Nelson da Luz, Chow, Ca¬traio, Yisa, Macaia, Guelor, Gui,Vanilson, Medá, Jacques, Razak,Vado, Paizo, Mingo Bille, Bobó, Natael, Bonifácio, Cessane, Cirílo,Van-Dúnem e Mário Balbúrdia. O avançado Fofó (ex-Progresso Sambizanga) junta-se ao grupo de trabalho, após regresso dos Palancas Negras do CHAN de Marrocos.

Jogo amistoso
O Recreativo do Libolo de­fronta o Progresso Sambizanga, hoje às 9h00, no São Filipe, sendo o quarto jogo de controlo no estágio em Benguela. O técnico Kito Ribeiro valoriza o particular diante da sua ex-equipa:" Estou convencido de que vamos fazer um bom teste. O Progresso vai querer complicar ao máximo os nossos propósitos”.
Nos jogos amistosos, a formação do Cuanza-Sul procura a primeira vitória, depois do empate (1-1) diante do Desportivo da Huíla e derrotas com Sagrada Esperan­ça (1-2) e Académica do Lobito (0-1).

Escolha do plantel
Hoje, o JGM do Huambo defi­ne o plantel de 29 atletas, com o objectivo de garantir a ma­nutenção no campeonato pelo segundo ano consecutivo. Neste momento, o técnico Águas da Silva trabalha com 35 atletas. Durante o estágio em Benguela, o JGM realizou oito jogos, dos quais venceu três, empatou dois e perdeu três.
Em declarações ao Jornal de Angola, o treinador do grémio do Huambo mostrou-se satisfeito com a preparação realizada na cidade das Acácias Rubras."O estágio foi bastante proveitoso. Os meus jogadores abordaram os trabalhos com muita entrega e dedicação", disse, acrescentando que o JGM vai fazer os jogos do Girabola Zap, no Estádio do Ferrovia, na cidade do Huambo, com o Governo local a assumir as despesas de pagamento do campo.

Tempo

Multimédia