Desporto

Militares decidem em casa presença na fase seguinte

Honorato Silva

A depender apenas de três pontos para carimbar a presença nos quartos-de-final da 22ª edição da Liga dos Clubes Campeões Africanos de futebol, o 1º de Agosto recebe o Mbabane Swallows de eSwatini, na próxima terça-feira, às 14h00, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em jogo referente à sexta e última jornada do Grupo D.

Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Considerada a segunda força da série, a seguir ao líder Etoile du Sahel da Tunísia, já apurado, com 11 pontos, a formação militar do Rio Seco, segunda classificada (6), aborda a derradeira ronda num quadro de clara vantagem, mas sem colocar de parte a possibilidade de percalço, por displicência.
Apesar de condicionados à prestação de terceiros, Zesco United da Zâmbia, terceiro com 5 pontos, e Mbabane, último, 4, podem igualmente chegar à próxima fase da competição continental. O representante zambiano tem de vencer o Etoile e aguardar que o 1º de Agosto não consiga mas do que empate, diante do swazis, que para chamar a si o apuramento fazem contas com um triunfo em Luan-da e um gracejo dos tunisinos, em Ndola.
Os bi-campeões nacionais podem chegar aos 9 pontos, safra fora do alcance do Zesco, pois mesmo que vença apenas atinge os 8, quando o Mbabane totaliza 7, caso triunfe na última ronda. Resta saber se o Etoile, com o primeiro lugar garantido, desde já uma vantagem para os quartos-de-final, por decidir a eliminatória em casa, está interessado em fazer da deslocação à Zâmbia uma mera viagem turística, sobretudo para visitar o Lago Vitória.
A simultaneidade da disputa dos jogos visa claramente evitar que as equipas façam abordagens em função dos acontecimentos registados no outro estádio. Conjecturas à parte, o 1º de Agosto está com as portas escancaradas, em função do desempenho maduro assinado no grupo, cuja única pecha foi a derrota (0-1) em Manzini, diante das andorinhas de Mbabane, concorrente pouco esclarecido para as exigências do futebol africano a este nível.
O ponto de viragem foi o empate (0-0), em Ndola, desempenho valorizado pela vitória (2-1) com contornos épicos e dramáticos, no 11 de Novembro, num fim de tarde princípio de noite em que, até aos 89 minutos, o Zesco United tinha um tri-unfo fortuito quase assegurado. Valeu ao futebol angola-
no a determinação dos pupilos de Zoran Macki, que escreveram o texto de justiça com golos de Geraldo, numa finalização em nota artística, e Bobó, no último acto do desafio.

Avanço dos tubarões

A uma jornada da conclusão da fase de grupos, salta à vista o domínio dos colossos do continente. Na Série A, o Al Ahly do Egipto, tubarão que dispensa apresentação, pelo historial de sucesso construído também com o talento dos angolanos Flávio Amado e Gilberto Amaral, confirmou a passagem, ao atingir os 10 pontos, à semelhança do Esperance de Tunes. Fora da corrida estão Kampala City do Uganda (6) e Township Rollers do Botswana (3).
No Grupo B está apurado o TP Mazembe do Congo Democrático (10). Entente Setif da Argélia, Difaâ El Jadidi do Marrocos e Mouludia, também da Argélia, todos com 5 pontos, discutem o segundo passe.
No C, o Wydad de Casablanca, detentor do título continental, chancelou a qualificação, com 10 pontos, ao passo que o Horoya da Guiné Conacri (8) e Mamelodi Sundowns (5) se batem pela outra vaga, numa série que tem o AS Togo Port de Lomé (3) sem qualquer hipótese.

Tempo

Multimédia