Desporto

Militares perseguem quarto título continental de clubes

Teresa Luís |

A equipa sénior feminina de andebol do 1.º de Agosto viaja, esta tarde, para a cidade de  Hammamet, Tunísia, palco de disputa da 39.ª edição da Taça dos Clubes Campeões Africanos, a decorrer de 21 a 30 do mês corrente, com o objectivo de conquistar o quarto título consecutivo.

Treinador Morten Soubak pretende manter a senda vitoriosa no continente
Fotografia: Jaimagens| Edições Novembro

Ontem, as militares orientadas pelo dinamarquês Morten Soubak realizaram duas sessões de treino, sendo a primeira  no ginásio e a segunda no campo. Em declarações  ao Jornal de Angola, o técnico explicou  que a preparação decorreu sem sobressaltos e destacou o facto de o grupo estar completo pela primeira vez.
“Os treinos foram muito intensos e pesados, por isso elas estão cansadas. Já estamos na véspera da competição, e vamos baixar as cargas. As jogadoras estão acostumadas, e esse é o caminho que queremos trilhar. Fisicamente estamos muito bem preparados”.
Morten aplaudiu o regresso das pontas Carolina Morais e Iracelma Silva e da guarda-redes Cristina Branco, que ficou um ano sem jogar. As agostinas contam também com os reforços da meia-distância central, Helena Paulo (ex-Marinha de Guerra e melhor marcadora do último campeonato nacional), e da ponta Janeth Santos (ex-Progresso Sambizanga).
“As atletas que regressaram precisam de  jogos, não basta treinar. A integração de todas é importante, por se tratar de um torneio longo", disse Soubak. O 1.º de Agosto joga a fase preliminar inserido no Grupo B, com as similares  do  TKC dos Camarões, Bandama  HBCT da Costa do Marfim e o HC Vainqueur do Congo Democrático.
 O Fap dos Camarões, Abo Sport do Congo Brazzaville, África Sport da Costa do Marfim,  Gsp SP da Argélia e o As Fax da Tunísia  compõem o A.
Em masculinos, o Esperance Sportive de Tunis, Caiman do Congo Brazzaville, Fap dos Camarões e o Apr HC do Ruanda formam o Grupo A. Zamalek do Egipto, Widad Smara do Marrocos, Red Star da Costa do Marfim, Phoenix do Gabão e Itthad da Líbia integram o B, ao passo que  o Al Ahly do Egipto (campeão), As Hammamet da Tunísia, Fanz HB dos Camarões, Hc Oka do Congo Democrático e Al Ahly da Líbia estão inseridos no C.  Angola falha a prova masculina pela quarta vez.
De realçar que em 2007, o país conquistou o título masculino em Cotonou , Benin, através do 1.º de Agosto comandado pelo técnico angolano Filipe Cruz.
Indagado sobre as adversárias, Soubak afirmou conhecer algumas. “Conheço aquelas com as quais jogamos a Taça dos Vencedores das Taças. Mas, para esta competição, talvez tenham se reforçado com atletas da Europa. Sobre as outras, só veremos no decorrer da competição”.
As agostinas disputaram dois jogos de controlo, no Torneio de Abertura do Campeonato Provincial de Luanda. As partidas serviram para tirar ilações sobre o estado da equipa. Apesar de averbarem duas derrotas (22-23), com a Marinha de Guerra, e (16-19) com Petro de Luanda, o técnico disse estar ciente das fases de jogo em que estiveram bem e mal.  “Tentamos implementar no torneio algumas coisas feitas nos treinos, e dar tempo para o grupo ensaiar as combinações. Os jogos foram bons, e aproveitamos o máximo”, frisou o treinador.
Sobre o encontro com o Petro de Luanda,  Morten realçou que o jogo entre as duas equipas centraliza as atenções, por serem as principais e que mais atletas fornecem à selecção, mas garantiu estar ciente do que precisa corrigir. “Felizmente não temos casos clínicos. Agora vamos por em prática o que trabalhamos”.
As militares entram para competição continental com o rótulo de campeãs e candidatas à revalidação. Sem a participação das tricolores, o 1º de Agosto tem, teoricamente, meio caminho andado, rumo a conquista de mais um título. Sem desprimor as outras equipas, as petrolíferas são seguramente as principais adversárias das militares, por se tratar dos maiores emblemas de África, no que ao andebol feminino diz respeito.
Na edição passada, o 1º de Agosto, sob comando técnico de Filipe Cruz, conquistou a taça, ao derrotar na final, por expressivos 42-25, o Asel do Congo Brazzaville, na cidade de Ouagadogou, Burkina Faso.
O resultado dilatado evidenciou a superioridade do conjunto do Rio Seco que destronou o do Eixo Viário em 2014, na época orientado por Victor Tchicolaev. Desde 1997, Angola domina a referida competiçãoa no sector feminino.
O Petro de Luanda é o grande "papão"com 19 troféus, sendo 17 consecutivos. Em 1987, o Ferroviário de Angola foi a primeira formação nacional a arrebatar o título. A dupla de arbitragem  formada por  Escurinho António /Tomás Tchitangue viajou no sábado  para a cidade de Hammamet, com vista a participação na Taça dos Clubes Campeões.
Na véspera  da competição, os árbitros vão beneficiar de uma acção formativa, visando a actualização de conhecimentos. Benjamim Tiago e Carlos Roberto foram os últimos angolanos, em 2010, Kaduna, Nigéria, a ajuizarem na competição.
Rossana Quitongo, Iracelma da Silva, Elizabeth Viegas, Juliana Machado, Elizabeth Cailo,  Lurdes Monteiro, Teresa Leite, Albertina Kassoma, Cristina Branco, Joelma  Viegas,  Helena de Sousa, Dalva Perez, Marta Alberto, Cristiane Mwasessa, Carolina Morais e Isabel Guialo são  as jogadoras que vão representar o país.

Tempo

Multimédia