Desporto

Ministra empresta calor às Pérolas em Brazzaville

Teresa Luís/ Brazzaville

A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, desembarca  segunda-feira, em Brazzaville, Congo, palco da 23ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN), em andebol sénior feminino, cuja final está marcada para dia 12,no Pavilhão de Kinteloe.

Ana Paula do Sacramento Neto viaja na segunda-feira
Fotografia: DOMBELE BERNARDO | Edições Novembro

Em representação do Executivo angolano, a governante pretende assistir aos jogos referentes às meias-finais e final do CAN. A presença da antiga ponta da Selecção Nacional e do Petro deLuanda expressa o apoio do Executivo às campeãs africanas, na busca do 13º título continental.
Ana Paula do  Sacramento Neto vem acompanhada por dois membros do seu gabinete ligados à área de intercâmbio. Durante a sua estadia, a governante angolana poderá manter, à margem da competição, contactos oficiais com as estruturas desportivas congolesas e os membros da Confederação Africana de Andebol (CAHB), presidida pelo beninense Manserou Aremou.
Segundo o funcionário da Embaixada de Angola no Congo, Etelvino Miguel, estão a ser criadas as condições de hospedagem.
“Recebemos a comunicação e da nossa parte tudo estamos a fazer, para que a ministra se sinta em casa. As jogadoras da nossa selecção vão sentir-se mais acalentadas e motivadas para alcançar o objectivo traçado. Portanto, a presença dela tem um grande significado”, frisou Etelvino Miguel.
Aquando da disputa do Africano de Luanda em 2016, em entrevista concedida ao Jornal de Angola, a dirigente defendeu que as Pérolas têm um legado. “O testemunho foi bem passado. Já é cultura das atletas  pensarem  em vitórias. O objectivo é ser campeã. Hoje já se pensa em mundiais e Jogos Olímpicos. Em África a hegemonia está bem firmada”.
Ana Paula integrou o “sete” nacional na conquista do títu-lo inédito em 1989, na cidade de Argel, com vitória na final (22-18), diante da Costa do Marfim, na época sob o co-mando do técnico angolano Beto Ferreira.
Palmira Barbosa “Mirita”, Elisa Pires, Fábia Raposo “Mãe do Zongue”, Chinha Garrido, Elisa Webba “Lili”, Felisbela Teixeira e Graça Bandeira são algumas das jogadoras que alinharam com a ministra. “Paula Silva”, como é conhecida nas lides do andebol, também jogou nos clubes Neves Bendinha, Educação de Benguela e do Namibe.

Tempo

Multimédia