Desporto

Missão angolana viaja amanhã para SãoTomé

Armindo Pereira

A delegação angolana, que vai participar na 11ª edição dos Jogos CPLP, a decorrer de 21 a 28 do mês em curso, em São Tomé e Príncipe, segue viagem amanhã, às 22h00, para o palco da competição, onde vai competir nas modalidades  de futebol, atletismo (convencional e adaptado), voleibol  de praia, taekwondo e basquetebol  3x 3.

Futebol masculino é uma das modalidades presentes na edição a decorrer no arquipélago de São Tomé e Príncipe
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

A ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula Sacramento Neto, vai presidir a cerimónia de despedida, agendada para o mesmo dia, às 14h00, na Casa da Juventude, em Luanda, no município de Viana, de acordo com Ndilo Mário, chefe da missão angolana.
Está previsto um jantar de confraternização, às 18h00. Uma hora mais tarde, a comitiva segue de autocarro da Casa da Juventude para o Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro.
Em declarações ao Jornal de Angola, o responsável garantiu estarem criadas as condições para o embarque da comitiva, composta por 79 pessoas, incluindo oficiais, treinadores, árbitros, médicos e chefes das delegações.
Segundo ainda Ndilo Mário a organização está preparada para começar a receber os países participantes. A confirmação veio da equipa de observadores do Ministério da Juventude e Desportos, que está desde domingo no arquipélago, para avaliar as condições de alojamento da comitiva angolana, além de outras questões técnicas.
“O nosso contacto com a organização tem sido permanente. Há quatro meses estivemos em São Tomé, para averiguar o nível de preparação. Até então estava tudo bem encaminhado. Na chegada a São Tomé, vamos ser recebidos no aeroporto pela nossa equipa de avanço, já com o conhecimento prévio das condições “, revelou.
O taekwondo e voleibol de praia são as modalidades onde Angola vai estar  representada em masculino e feminino. Outra particularidade prende-se com o basquetebol, que pela primeira vez, entre as nações da CPLP, será disputado no formato 3x3, em detrimento do modelo convencional 5x5.
“O Ministério deu todo o apoio possível, apesar das dificuldades. Todos os pedidos solicitados para a preparação de cada uma das modalidades foram atendidos, sem qualquer excepção. Foi destinada, inclusive, uma verba para custear a deslocação de alguns atletas, das suas residências para o local dos treinos e vice-versa”.
Sempre que terminar a disputa de uma determinada  disciplina, os respectivos atletas devem regressar aos países de origem, medida determinada pela organização. Esta questão já foi acautelada pelo Ministério. Ha-
verá um destacamento em Luanda, para receber aqueles que forem regressando paulatinamente, de acordo com o chefe da missão.
O primeiro ministro são-tomense, Patrice Trovoada, disse, por altura do seu lançamento, no início deste mês, que os jogos constituem “um desafio” encarado pelo arquipélago e parceiros do espaço lusófono.
“Ficou bastante claro que se trata de um desafio encarado, não só em primeiro lugar por São Tomé e Príncipe, mas também pelos nossos parceiros e irmãos da CPLP”, disse Patrice Trovoada, na altura de acto de lançamento do evento.
A última edição foi realizada em Julho de 2016, na cidade da Praia, Cabo Verde. A primeira realizou-se em Setembro de 1992, em Lisboa, Portugal.

Tempo

Multimédia