Desporto

MVP de 2016 falha Africano do Congo

Teresa Luís | Brazzaville

A antiga capitã da Selecção Nacional, a meia-distância Natália Bernardo, eleita jogadora mais valiosa (MVP) do último Africano, é a ausência mais sonante de Angola, no campeonato do Congo. Na edição passada, a atleta desempenhou o papel de líder dentro e fora da quadra do Multiusos do Kilamba.

Natália Bernardo, ex-capitã
Fotografia: Vigas da Purificação | Edições Novembro

Em sete jogos, Natália marcou 38 golos, tendo sido superada pela tunisina Amal Hamrouni,  melhor marcadora com mais dois.  Após o CAN, a meia-distância ficou afastada das quadras durante duas épocas, por motivos pessoais.
O regresso da internacional angolana aconteceu no mês de Outubro, por altura da disputa da 40ª edição da Taça dos Clubes Campeões, em Abdijan. Apesar de não estar ainda no melhor da sua forma desportiva, Natália Bernardo ajudou as militares a conquistar o quinto troféu continental, bem como a segunda Taça de Angola no seu palmarés.
De fora estão também as veteranas Neide Barbosa (guarda-redes) e a central Luísa Kiala, pois ambas já colocaram ponto final nas respectivas carreiras.
A ponta Juliana Machado é outra “carta” fora do baralho, por ter sido mãe muito recentemente.
Uma lesão no joelho, recuperável apenas em seis meses, retirou igualmente a pivô Dalva Perez. Lourena Carlos e Lurdes Monteiro (meias-distâncias), Joelma Viegas e Carolina Morais (pontas) também estão ausentes, por opção técnica.

Tempo

Multimédia