Desporto

Nadadores angolanos ambicionam medalhas

Armindo Pereira

A Selecção Nacional de Natação em absoluto segue viagem amanhã, às 12h00, via Joanesburgo, para Malawi, onde vai participar na 16ª edição do Campeonato Africano da Zona IV, a decorrer na cidade de Lilongwe, de 21 a 24 do corrente.

Combinado nacional embarca confiante para Lilongwe onde espera arrebatar medalhas
Fotografia: Kindala Manuel | Edições Novembro

O grupo, às ordens do seleccionador Cláudio Brandão, projectou na Piscina de Alvalade  a presença na competição ao longo dos últimos trinta dias, com 20 sessões de treino, e pretende conquistar o maior número de medalhas possíveis, com os olhos postos nos seis primeiros lugares do pódio, uma missão que se advinha “difícil”. 
A confirmação é do seleccionador, que tem entre os seleccionados nove atletas afectos ao 1º de Agosto, Clube Náutico da Ilha de Luanda e Onda Sport Club. O grupo tem a difícil missão de melhorar a classificação, nona posição, alcançada na edição anterior, bem como os tempos individuais dos atletas.   
Os atletas apresentam níveis de evolução aceitáveis, segundo o treinador . "Os nadadores estão bem fisicamente, a componente psicológica também. Estamos preparados para representar o país no zonal. No início da preparação tiveram de adaptar-se às cargas de treino, e nesta fase estão todos adaptados para os desafios que nos aguardam em Lilongwe", avançou. Os treinos diários resumiram-se no aperfeiçoamento da velocidade, dos saltos,  viragens e chegadas. Osvaldo Zocolo, melhor nadador do nacional em juvenis, e  Gilberto Silva e Tiago são os estreantes no grupo.
Em declarações ao Jornal de Angola, os mesmos prometeram dar o melhor de si e ajudar Angola a concretizar os objectivos traçados, como revelou Tiago Zocolo em representação dos seus companheiros.
“Estamos todos com pensamento positivo, coinci-entes das dificuldades. Eu, particularmente, dei o meu máximo ao longo da preparação, só assim se pode atingir o pico da forma desportiva e buscar bons resultados”, disse.
Nas competições continentais, segundo Cláudio Brandão, o número de participantes é determinante na aquisição de pontos e medalhas. "Não tivemos bons resultados nas últimas duas edições, por levarmos um número reduzido de nadadores. Angola não participou de algumas provas por falta de atletas", disse.
O seleccionador justificou que as selecções adversárias apresentam-se, por norma, com 30 a 40 atletas, razão pela qual torna-se complicado almejar os lugares cimeiros da classificação geral.
A equipa técnica tem estratégias bem definidas para os nadadores Catarina Silva e Daniel Francisco, em função dos futuros compromissos internacionais. Segundo ainda Cláudio Brandão, a evolução destes atletas tem sido acompanhada ao detalhe.
“São atletas que estamos a preparar para os Jogos Africanos da Juventude, e este zonal vai servir de preparação uma vez que em Julho voltam a entrar em acção na referida prova, qualificativa para os Jogos Olímpicos da Juventude, a ter lugar em Outubro, na Argentina”.
Na liderança do “ranking” da zona IV está a África do Sul, seguida do Zimbabwe, Namíbia, Ilhas Maurícias, Botswana, Ilhas Seychelles, Moçambique, Angola, Suazilândia, Quénia, Malawi e Madagáscar. 


Tempo

Multimédia