Desporto

Nomes sonantes podem “esquentar” o mercado

Anaximandro Magalhães

O mercado do basquetebol sénior masculino pode fervilhar, tão logo termine a presente época desportiva, presunção que pode estar em equação, caso os jogadores com nomes sonantes do Sport Libolo e Benfica rescindam o contrato.

Fotografia: Jaimagens / Edições Novembro

Os basquetebolistas, Pedro Bastos, Benvindo Quimbam-ba e Roberto Fortes, como apurou o Jornal de Angola, são  nomes que podem estar de saída da formação oriunda da província do Cuanza-Sul, alegadamente, por incumprimento do pagamento dos valores previamente acordados pelas partes. A estes, devem juntar-se outros, a evocarem os mesmos motivos.
Cognomes, certamente para reforçar as equipas do Petro de Luanda, onde os três já jogaram, 1º de Agosto, Interclube e quiçá ASA, embora, este tenha menos capacidade financeira que os demais, para fazer face às exigências dos referidos atletas.
O extremo internacional angolano, Reggie Moore, que rescindiu o contrato com as “Águias de Calulo”, pode entrar na equação das formações nacionais, pois, está vinculado ao Galitos de Portugal, até Junho.
Afastados da equipa do Libolo e Benfica, também por falta de pagamento, estão Jekel Foster e Andre Harris. Ambos, encontram-se nos Estados Unidos, país natal.
Um montante, a rondar aproximadamente 600 mil dólares, é o valor em dívida do Recreativo do Libolo,  de 2012 a 2017, por incumprimento do pagamento dos vínculos contratuais de Carlos Morais, Helmer Félix, Agostinho Coelho, Braúlio Morais, Vladimir Pontes, Zola Paulo “Lobão” e Agostinho Coelho.

Tempo

Multimédia