Desporto

Andebol juvenil desfila na cidade do Huambo

A reunião técnica da 38ª edição dos Campeonatos Nacionais juvenis de andebol, em ambos os sexos, define esta tarde, numa das salas do pavilhão Osvaldo Serra Van-dunem, no Huambo, as cores dos equipamentos das equipas e outras questões organizativas.

Futuras estrelas da Selecção Nacional discutem o título no Pavilhão Osvaldo Serra Van-Dúnem
Fotografia: Santos Pedro | Edições Novembro

Os jogos começam a ser disputados amanhã às 8h30, com a partida entre o Grupo Desportivo 4 de Abril (Lun­da-Sul) e o Atlético Clube da Madeira (Luanda), em  masculinos.
Em discussão vão estar ainda o programa de jogos, a presença das equipas nos desfiles de abertura e encerramento, bem como as multas em vigor. A reunião é orientada pelo director de prova, Inocêncio Tomás Júnior "Joni", e deve detalhar também os moldes de disputa adoptados e o sistema de pontuação.
Nove partidas estão agendadas para a abertura, referentes à primeira jornada, que vai ser concluída depois de amanhã, com mais 6 jogos, nos pavilhões Osvaldo Serra Van-Dúnem e no seu anexo.
Dado o elevado número de equipas, a organização realiza a cerimónia de abertura amanhã às 15h30, depois dos sete primeiros desafios, agendados para o período da manhã.

Huíla em risco

O atraso nas inscrições dos atletas da Huíla pode forçar a redução, para nove, do número de províncias participantes nos campeonatos. Até ontem, a Associação huilana não tinha feito chegar os processos dos atletas à Federação, razão pela qual a província arrisca ser excluída da competição.
Cabinda, Huambo, Cuanza-Sul, Moxico, Luanda, Lunda-Sul, Malanje, Namibe e Uíge são as províncias que garantiram presença no Planalto Central, para a maior reunião do andebol juvenil nacional. Em ambas as classes, a prova é disputada no sistema de todos contra todos a uma volta, na fase preliminar, com as equipas repartidas em 4 séries.
A partir da segunda etapa, os campeonatos disputam-se em sistema de eliminatória, jogando-se os quartos de final, meias-finais e finais. O sorteio realizado há 15 dias, na sede do Comité Paralímpico Angolano, ditou o seguinte enquadramento para a prova feminina:
Na Série A,  1º de Agosto, 1º de Maio, Misto do Moxico e Ara da Gabela; Série B, Núcleo do 1º de Agosto de Benguela, Petro do Huambo, Marinha de Guerra e Atlético do Namibe; Série C, Escolinha de S. João do Huambo, Desportivo de Cacuso, Chicapa da Lunda-Sul, Mora do Virei do Namibe e Sporting de Cabinda.
Em masculinos, Série A, Renascimento do Uíge, 1º de Agosto, Recreativo de Chicapa e Mora do Virei; Série B, Escolinha de S. João, Desportivo de Cacuso, Santa Rita de Cássia e Atlético do Namibe; Série C, 4 de Abril da Lunda-Sul, Ara da Ga­bela, Atlético da Madeira de Luanda e Petro do Hu­ambo; Série D, Sporting de Cabinda, Interclube e Águias Sport Clube.  
O 1ºde Agosto é favorito a manter o título em femininos, depois de dois anos consecutivos em que disputou e venceu a final da prova, diante do seu Núcleo de Benguela. No sector mas­culino, o Renascimento do Uíge, actual campeão, vai ter muitos concorrentes à altura, sobretudo da capital do país.
As províncias de Luanda e de Benguela continuam a ser os grandes centros de desenvolvimento da modalidade no país.
O 1º de Agosto, com as escolas montadas no antigo RI-20, para os femininos, Gama, no Miramar, masculinos, e os núcleos em Benguela, destaca-se na formação de atletas, a par do seu grande rival desportivo Petro de Luanda.

Tempo

Multimédia