Desporto

Ciclista perde os sentidos

A ciclista espanhola Ane Santesteban está internada, após ter sido atropelada por um condutor que posteriormente se pôs em fuga, segundo contou o diário “Marca”.

A corredora perdeu os sentidos mas acabou por recuperar e já reagiu ao acidente: “Daqui a uns dias tudo não terá passado de um susto e voltarei a pedalar com mais vontade e força do que nunca. Obrigado a todos”.
Enquanto decorrem as investigações sobre o sucedido, a ciclista tem recebido muitas mensagens de apoio, entre elas uma de Alejandro Valverde, que se mostrou indignado. “Atropelam a ciclista Ane Santesteban, que fica inconsciente, e fogem. Basta. É preciso que nos respeitem na estrada”, escreveu o ciclista na sua conta no Twitter.
Recorde-se que já na quinta-feira o português Ivo Oliveira foi “abalroado” por um automóvel quando treinava.

Polaco deixa marca

O ciclista polaco Michal Kwiatkowski (Sky) venceu sábado ao sprint a 108.ª edição da Milão-San Remo, impondo-se no último metro da clássica italiana ao eslovaco Peter Sagan, numa disputa restrita, que também envolveu o francês Julian Alaphilippe.
Kwiatkowski, de 26 anos, que se tornou o primeiro polaco a vencer a “classicíssima”, cumpriu os 291 quilómetros em 7:08.39 horas, garantindo o triunfo nos últimos centímetros, tornando infrutífero o trabalho de Sagan, que provocou o corte decisivo no grupo principal a dois quilómetros do pico de Poggio, situado a seis quilómetros da meta. O eslovaco da Bora-Hansgrohe, bicampeão do mundo, voltou a deixar escapar o triunfo no primeiro “monumento” da temporada e contentou-se mais uma vez com o segundo lugar, repetindo a posição de 2013, enquanto Julian Alaphilippe (Quick Step Floors) completou o pódio.
“Estou muito contente, embora, na realidade, não esperasse vencer”, afirmou o campeão do mundo de 2014, que deveria trabalhar para o colega Elia Viviani numa eventual chegada em pelotão compacto. "Venci a Strade Bianche recentemente. Agora vir ganhar “La Primavera” é simplesmente incrível", acrescentou Kwiatkowski.
O polaco frustrou assim as expectativas de Sagan, cujo ataque no Poggio tinha afastado concorrentes como o norueguês Alexander Kristoff (Katusha-Alpecin), o alemão John Degenkolb (Trek-Segafredo) e o francês Arnaud Démare (FDJ), vencedores de 2014, 2015 e 2016, respectivamente.
Kristoff acabaria por cortar a meta em quarto, a cinco segundos do vencedor, imediatamente à frente do colombiano Fernando Gaviria (Quick Step Floors), de Démare e de Degenkolb. Quanto ao português Nuno Bico (Movistar), acabou em 119.º lugar, a 5.24 minutos do vencedor.

Tempo

Multimédia