Desporto

Comissão Eleitoral reconduzida no ténis

A recondução da Comissão Eleitoral da Federação Angolana de Ténis (FAT), presidida por José Cardoso de Lima, para o pleito referente ao quadriénio 2016/2020, foi ontem, em Luanda, recomendada pelos agentes e associados da modalidade.

Família da modalidade clama pela união dos seus agentes
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Em resultado do Encontro Nacional da modalidade, orientado pelo presidente cessante da Mesa da Assembleia-Geral, Caetano de Sousa, decorrido no Instituto Médio de Economia (IMEL), os representantes das associações provinciais, clubes, núcleos e centros de formação sugeriram o prazo de 90 dias para a efectivação do processo de votação.      
Organizado pela comissão administrativa da FAT, cuja missão termina no corrente mês, na reunião, além da apresentação do relatório de trabalho do grupo, foi feito uma abordagem sobre o estado e perspectivas da disciplina no país, entre outras questões.    
Os participantes que puderam intervir e dar sugestões, concluíram por unanimidade a necessidade da normalização do órgão reitor, com a constituição de uma lista de consenso, para o pleito ainda sem data.     
Fazem parte da comissão administrativa Sebastião José Araújo (presidente do Clube de Ténis de Luanda), Genivaldo Dias (agente desportivo), Ana Balbina Martins, Eliseu Maria (antigos praticantes) e Baltazar Roque (promotor do ténis em Benguela).
A mesma foi constituída, com um prazo de seis meses, para garantir o funcionamento da modalidade nos últimos seis meses, por incumprimento do processo eleitoral, por parte do elenco anterior da FAT, dirigido por Matias Castro da Silva.

Tempo

Multimédia