Desporto

Hamilton recupera e confirma o título

O britânico Lewis Hamilton, da Mercedes, conquistou ontem, pela quarta vez na carreira (depois de 2008, 2014 e 2015), o título de campeão mundial de Fórmula 1, pese embora ter sido apenas o nono colocado no Grande Prémio do México, vencido pelo holandês Max Verstappen, da Red Bull.

Piloto britânico da Mercedes festeja depois do nono lugar
Fotografia: AFP

Largando do terceiro posto e a precisar apenas de finalizar no quinto posto para celebrar o título, Hamilton viu a tarde na Cidade do México começar muito mal, quando logo à primeira volta foi obrigado a ir às boxes, devido a um choque com Sebastian Vettel. Ambos tiveram de reparar os carros, rodaram nas posições inferiores da tabela, mas conseguiram recuperar vários lugares. O alemão ainda chegou ao quarto posto, mas tal esforço não foi suficiente para impedir o título de Hamilton.
Quanto à vitória, foi para o jovem Max Verstappen, de 20 anos, que no México somou o segundo triunfo da sua carreira.
E Hamilton já é, aos 32 anos, o britânico que mais vezes venceu a disciplina máxima do automobilismo.
O piloto de Stevenage, cidade inglesa onde nasceu a 7 de Janeiro de 1985, deixou para trás, ao volante do seu Mercedes, o “lendário” Jackie Stewart, dois anos depois de ter ultrapassado Jim Clark e Graham Hill.
Hamilton, que na época passada havia perdido - por míseros cinco pontos - o “tetra” para o alemão Nico Rosberg, ascendeu ao pódio do “ranking” da história da Fórmula 1, juntando-se, no lugar mais baixo, ao francês Alain Prost e ao alemão Sebastian Vettel. O germânico, que venceu os seus títulos entre 2010 e 2013, foi, precisamente, o seu grande adversário e liderou mesmo o campeonato de 2017 até à 12ª corrida, mas Hamilton “reinou” na segunda metade da época, para repetir 2008, 2014 e 2015.

Tempo

Multimédia