Desporto

Maratona de Nova Iorque a mais popular do mundo

A Selecção Nacional começa a competir hoje, Em 1970, na primeira edição da Maratona de Nova Iorque, chegaram 55 atletas à meta, o que já chegou para deixar bem satisfeito Fred Lebow, um emigrante judeu vindo da Roménia, grande entusiasta das corridas de estrada.

Corrida pode bater recorde de 51 mil atletas à chegada
Fotografia: Henny Ray Abrams | AFP

Hoje, para a 47.ª edição da prova (só não se correu em 2012), o panorama é totalmente diferente e um dos objectivos é bater o recorde de 51.394 atletas à chegada, batido no ano passado, na que já é, sem sombra de dúvida, a mais popular das maratonas à escala mundial.
Agora, a organização é do New York Road Runners Club (NYRR), altamente profissionalizada e atenta à dupla vertente da corrida.
A prova é aberta a todos, mas tem algumas 'malhas' de acesso - é necessário fazer mínimos de participação, o que não chega para impedir que sejam mais de 50 mil na partida.
A única vez que a prova não se correu foi em 2012, devido ao furacão Sandy, e nunca o perigo de ameaças terroristas levou ao cancelamento da mítica corrida entre Statten Island e Central Park. Este ano, volta a ser assim, com o massacre de terça-feira na baixa de Manhattan a não parar a 'máquina' já em marcha.
Não é fácil controlar a imensa multidão nas ruas e a polícia redobrou este ano a atenção. Todas as artérias vão estar fechadas com camiões de areia, vai haver 'snipers' nos telhados e entre os destacados alguns com armamento pesado. Os céus são patrulhados por helicópteros e entre os espectadores estão muitos agentes à paisana. Bill de Blasio, presidente da câmara de Nova Iorque, elogia o esforço de segurança e pede que os habitantes “não se deixem afectar pelo terror”.
Ao longo do trajecto estão cerca de dez mil voluntários, para se ocuparem de diversas tarefas, que vão desde o controlo e encaminhamento de atletas e público, até à distribuição de água.

Tempo

Multimédia