Desporto

Selecção de cadetes trabalha o ataque

Teresa Luis |

Com o objectivo de resgatar o título continental, a Selecção Nacional de andebol em cadetes femininos aprimora,hoje, os aspectos ofensivos na quadra de jogos do Quartel-General do Exército, visando a disputa do Campeonato Africano, a decorrer de 10 a 18 de Setembro em Abdijan, capital da Costa do Marfim.

Técnicos corrigem as falhas
Fotografia: José Soares | Edições Novembro

Na quinta-feira, as pupilas de Luís Chaves testaram a competitividade com a selecção júnior feminina. Em declarações ao Jornal de Angola, o seleccionador nacional, explicou as ilações feitas no desafio e realçou que durante o jogo de controlo, defensivamente, o grupo fez aquilo que se esperava, mas ainda é preciso melhorar o ataque.
“Jogámos três partes de cada 25 minutos. Na primeira fase, as cadetes venceram, por 9-8; na segunda, as juniores triunfaram, por 18-15, mas desconheço o resultado global.
No sector defensivo, as atletas mostraram que compreendem a nossa filosofia. No ataque, estamos um pouco atrasados. Houve muitos erros técnicos em determinadas fases do jogo, próprios da idade. Vamos trabalhar neste sentido, por causa da intensidade em que iremos jogar.”
O “sete” angolano cumpre, de 1 a 9 de Setembro, um curto estágio pré-competitivo em Portugal, na região de Leria: “também vamos fazer jogos de controlo e aproveitar o máximo a concentração, com visita ao alcance dos objectivos traçados.”
O grupo que disputa o africano de Abdijan fica definido hoje, com a dispensa de duas atletas do leque de 18. Lígia Ferreira, Chelsea Gabriel, Isabel Tchitongua, Kélvia Bundi, Marília Francisco, Ruth Dum, Beatriz Masséu, Ivaldina Pereira, Jélsia Monteiro, Henriqueta Diogo, Filigénia Fernandes, Stélvia Pascoal, Jucelma Lenga, Rossana Mateus, Paulina da Silva, Márcia Manuel e Thaynany Castro são as atletas convocadas.

Tempo

Multimédia