Desporto

Palancas Negras jogam hoje qualificação ao CAN

António Cristóvão | Francistown

Os Palancas Negras disputam hoje, às 18h00, diante das Zebras, no Estádio do Complexo Desportivo da cidade de Francistown, no Botswana, a partida derradeira de qualificação à Taça de África das Nações (CAN), cuja fase final disputa-se de 21 de Junho a 19 de Julho, no Egipto.

Avançado Wilson Eduardo pode ser um dos “ases” de trunfo no ataque à baliza adversária
Fotografia: Contreiras Pipa| Edições Novembro

A partida é pontuável para a sexta e última jornada do grupo I das eliminatórias para a maior cimeira do futebol africano e prevê-se um grau de dificuldade elevado. 

Ainda assim, apesar de jogar em terreno alheio, os Palancas vão procurar ter a iniciativa de jogo, privilegiando a conservação da posse da bola para exercerem domínio sobre o adversário.
Mas, para triunfar, a Selecção Nacional tem de fazer uma excelente exibição individual e colectivamente. Fundamental será estar bem defensiva e ofensivamente.
O técnico Srdan Vasiljevic vai, certamente, privilegiar a construção do jogo da selecção pelos flancos, de forma a aproveitar a velocidade e os dribles estonteantes dos médios Freddy e Djalma Campos, pois, a estes compete a missão de servirem o ataque com objectividade e mestria.
Os angolanos precisam vencer a partida, mas vão enfrentar um adversário que cria bastantes dificuldades no seu reduto. Na primeira volta, Angola venceu com bastantes dificuldades, por 1-0, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, e é expectável que haja alguma incógnita neste novo duelo.
Vasiljevic quer repetir a façanha no Estádio de Francistown, onde espera casa cheia. A missão é muito complicada. Os Palancas Negras respiram confiança e não querem cometer os mesmos erros da primeira volta. Angola, segunda do grupo com nove pontos, assume teoricamente o favoritismo.
As Zebras, últimas com um, e sem possibilidades de chegarem à fase final da competição africana, querem contrariar ao máximo a am-bição dos angolanos, pois pretendem terminar a prova com uma vitória.
Às ordens do seleccionador, estão: Tony Cabaça, Jota B e Landu (guarda-redes), Dany Massunguna, Bastos, Jonathan Buatu, Wilson, Paizo, Isaac, Edi Afonso (defesas), Herenilson, Freddy, Vá, Show, Djalma Campos, Stélvio Cruz, Manguxi (médios), Geraldo, Igor Vetokele, Wilson Eduardo, Mabulu e Chico
À mesma hora e para o mesmo grupo, os Cavalos do Burkina Faso, terceiros com sete pontos, defrontam os Mourabitounes da Mauritânia, (líderes com 12 e já apurados), no Estádio 4 de Agosto, na cidade de Ouagadougou, um desafio que se espera equilibrado, durante o tempo regulamentar, mas os anfitriões assumem o favoritismo pelo triunfo.
Se se quiserem qualificar, os Cavalos têm de vencer e esperar por um deslize dos Palancas Negras.
Na partida da primeira volta, o Burkina Faso perdeu com a Mauritânia, por 0-2, na cidade de Nouackchott, em desafio da segunda jornada do grupo. Um resultado, que os Cavalos pretendem desforrar.

Artur Almeida e Silva acredita na qualificação

O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, mostrou-se confiante na qualificação dos Palancas Negras, para a fase final da Taça de África das Nações (CAN), a ser disputada de 21 de Junho a 19 de Julho, no Egipto.
“Acredito, porque auguramos ganhar o jogo e penso que vai acontecer, devido à nossa organização e dinâmica”, disse ao Jornal de Angola.
O responsável máximo da FAF exaltou as condições de alojamento dispostas para a selecção. “Estamos bem instalados, porque tivemos uma equipa de avanço na cidade de Francistown, para tratar de todo o processo administrativo e de hospedagem. Está criado um ambiente de repouso bom para realizarmos um bom jogo”, declarou ao Jornal de Angola.
Os Palancas Negras, que deixaram Luanda quarta-feira, às 16h00, chegaram a Francistown à noite, numa viagem que durou cerca de três horas.
Além dos jogadores e dos oficiais da delegação desportiva, no mesmo voo, seguiram também os 16 presidentes das associações provinciais de Futebol (APF), convidados pela direcção da FAF, para prestarem todo o apoio à equipa de Futebol de Honras.
Ausentes, estão os presidentes das APF da Lunda-Norte e do Cuando Cubango. O primeiro tem problemas de saúde, enquanto o segundo desistiu da viagem por motivos pessoais.

Tempo

Multimédia