Desporto

Palancas Negras viajam amanhã para cidade do Cairo

António Brito

Ultrapassados os pendentes administrativos, a Selecção Nacional de Honras de futebol viaja hoje para a cidade do Cairo, Egipto, onde compete na 32ª edição do Campeonato Africano das Nações (CAN), a decorrer de 21 do corrente a 19 de Julho.

Selecção às ordens de Srdjan Vasiljevic começa aprimorar detalhes de jogo em solo egípcio
Fotografia: Contreiras Pipas | Edições Novembro

Segundo fonte da Federação Angolana de Futebol (FAF), os dinheiros para ajudas de custos e compra de bilhetes de passagem, inviabilizaram à saída, inicialmente prevista para ontem, do conjunto angolano para o Egipto. A situação foi solucionada, depois de membros da FAF terem desembarcado ontem, em Lisboa, Portugal.
Amanhã, a Selecção retoma a sessão de treinos, na cidade de Suez, com o treinador Srdjan Vasiljevic a incidir a preparação na recuperação física dos jogadores, seguido de um jogo treino em campo reduzido, para permitir ao corpo técnico avaliar o desempenho individual dos seus integrantes.Na parte final dos trabalhos, os atletas realizam corridas ligeiras à volta do campo, culminando a sessão com o habitual aprumo físico, como alongamentos e abdominais. As restantes integrantes do Grupo E escalaram com antecedência o palco da prova, designadamente Tunísia, Mali e Mauritânia.

Derradeiro ensaio

Depois de ter aprovado no primeiro amistoso, frente ao combinado da Guiné Bissau, ao vencer por 2-0, a selecção angolana defronta a similar sul-africana, na quarta-feira, num jogo treino em que Srdjan Vasiljevic vai aproveitar para corrigir algumas insuficiências e aprimorar os detalhes, tendo em vista a estreia no CAN, a 24 do corrente, diante da Tunísia, às 18h00, no New Suez Stadium.
Frente aos Bafana Bafana, os Palancas Negras procuram o primeiro triunfo, tendo um registo de dois empates e quatro derrotas, marcaram três golos e sofreram nove.
A Selecção Nacional espera dignificar a bandeira nacional na prova continental. O corpo técnico liderado por Srdjan Vasiljevic definiu como primeira prioridade o apuramento para os oitavos-de-final, sem pôr de parte a qualificação para os quartos, meias-finais e final.
Em oito participações em fases finais do CAN, Angola conseguiu apenas dois apuramentos para os oitavos-de-final, Gana (2008) e Angola (2010).
Para “Operação Egipto”, Vasiljevic levou 23 jogadores, três guarda-redes Tony Cabaça (1º de Agosto), Landu (Interclube) e Ndulu (Desportivo da Huíla).
Na defesa, estão confirmados Paizo, Isaac e Dany Masunguna (1º de Agosto), Eddie Afonso e Wilson Gaspar (Petro de Luanda), Jonathan Buatu (Rio Ave), Bastos (Lazio) e Bruno Gaspar (Sporting de Portugal). />Os médios Herenilson (Petro de Luanda), Show, Macaia (1º de Agosto) e Stélvio (F91 Dundelange) e os avançados Gelson Dala (Sporting de Portugal), Mateus Galiano (Boavista), Freddy (Antalyaspor), Djalma Campos (Alanyaspor), Geraldo (Al Ahly), Wilson Eduardo (Sporting de Braga), Mabululu (1º de Agosto) e Evandro Brandão (Leixões) também integram o grupo.

Dezassete jogadores estreiam na prova

Sete dos 23 jogadores eleitos pelo seleccionador nacional, Srdan Vasiljevic já representaram Angola na fase final do Campeonato Africano das Nações (CAN) em futebol, com destaque para Mateus Galiano e Djalma Campos, que vão na quarta presença.
Enquanto isso 16 atletas estreiam-se: Toni Cabaça, Ndulo, Isaac, Paizo, Wilson, Herenilson, Macaia, Wilson Eduardo, Gelson Dala, Bruno Gaspar, Jonathan Buatu, Edi Afonso, Evandro Brandão, Mabululo, Show e Freddy.Mateus e Djalma, dos mais experientes do combinado nacional, depois de três participações, voltam a merecer a confiança para ajudar os Palancas Negras na luta por uma campanha igual ou melhor aos quartos-de-final, seu melhor registo.
O avançado do Boavista de Portugal estreou-se no Ghana, em 2008, prova em que jogou 56 minutos, em três partidas. Esteve igualmente no Gabão/Guiné Equatorial, em 2012, onde fez 270 minutos em três desafios, tendo apontado um golo.Já na última aparição, em 2013, na África do Sul, o ex-atacante do 1.º de Agosto esteve em campo durante 244 minutos, também em três encontros.
De 34 anos, Mateus foi um dos grandes obreiros da qualificação da selecção para o CAN, ao ser o melhor marcador da campanha, com quatro golos. Já o médio Djalma, de 32 anos, disputou a primeira prova em 2010, competição realizada em solo angolano. Actuou em quatro jogos, num total de 318 minutos.
O antigo jogador do FC do Porto de Portugal evoluiu ainda em 2012 e 2013. No Gabão/Guiné Equatorial concluiu 252 minutos em três jogos, enquanto na África do Sul fez 135 em duas partidas.
O defesa do 1º de Agosto Dani Massunguna vai disputar o terceiro CAN, depois das presenças em 2012 e 2013. Em cada ocasião, curiosamente, fez 270 minutos em três partidas. Stélvio (2010), Geraldo (2012) Landu e Bastos (2013), contam com uma presença cada um.

Tempo

Multimédia