Desporto

Palancas Negras disputam terceiro lugar hoje em Ndola

António Cristóvão

A Selecção Nacional de futebol de honras discute hoje às 14h00, diante do Zimbabwe  (Guerreiros), no estádio Levy Mwanawasa, na cidade de Ndola, Zâmbia, a conquista do terceiro lugar no Torneio Internacional denominado “Quatro Nações”, enquadrado na primeira Data FIFA do ano.

Angola joga esta tarde pelo brio, falhado o objectivo de erguer o troféu das Quatro Nações
Fotografia: José Cola| Edições Novembro

Depois da derrota, por 6-7, aos penáltis na partida de estreia, quarta-feira, frente a África do Sul, após igualdade a uma bola no tempo rigorosamente cronometrado, os Palancas Negras, designação oficial da selecção, querem redimir-se do desaire e deste modo fugir o quarto e último lugar.
Na história dos confrontos entre si, os Palancas somam sete triunfos contra oito dos Guerreiros. Ambas selecções empataram em três ocasiões. Angola marcou 18 golos e sofreu 21, enquanto que o Zimbabwe apontou 21 e consentiu 18 tentos.
Palancas Negras e Guerreiros disputam  hoje o 19º jogo entre desafios oficiais (para eliminatórias do Campeonato do Mundo, Taça de África das Nações, Taça Cosafa) e amistosos.
No último desafio, disputado no dia 14 de Outubro de 2012, a Selecção Nacional derrotou o Zimbabwe, por 2-0, no Estádio Nacional 11 de Novembro, referente à eliminatória de apuramento para a fase final da Taça de África das Nações (CAN), em 2013, na África do Sul.
As selecções defrontaram-se pela primeira vez, no dia 9 de Novembro de 1985, com vitória dos Guerreiros sobre os Palancas Negras, por 3-2, no Estádio Nacional da Cidadela, em jogo amistoso no quadro das festividades da Independência Nacional. 
Para já é certo que o técnico Srdjan Vasiljevic deve apostar em Landu na baliza, Isaac, Bastos Quissanga, Wilson e Tó Carneiro no sector defensivo, enquanto na linha intermédia pode alinhar Job, Herenilson, Show e Djalma Campos. No ataque dos Palancas Negras, o novo seleccionador nacional deve colocar Ary Papel e Vá.
Para o técnico Srdjan Vasiljevic, a Selecção Nacional está em condições de ganhar o jogo.
“O nosso objectivo é alcançar a vitória, mas vamos ver durante o desafio. Não pensamos desistir do nosso objectivo”, garantiu o treinador sérvio.
Caso a selecção vença o jogo, iguala o número de triunfos do adversário. Na eventualidade de acontecer, seria bastante moralizante para os jogadores, equipa técnica e direcção da Federação Angolana de Futebol, para pôr cobro às constantes críticas públicas em relação à prestação do grupo nas provas oficiais e desafios amistosos.
Na quarta-feira à tarde, em Ndola, os zimbabweanos perderam por 4-5, também aos penáltis diante dos zambianos, anfitriões da prova. No tempo regulamentar, as selecções empataram a dois golos, num desafio marcado pelo equilíbrio durante os 90 minutos de jogo.
A Selecção Nacional regressa amanhã à tarde a Luanda. O próximo compromisso internacional está agendado para 7 de Setembro, diante das Zebras do Botswana no Estádio Nacional 11 de Novembro.
O encontro é a contar para a segunda jornada do Grupo I de apuramento para a fase final da Taça de África das Nações (CAN), em 2019, nos Camarões.
Este ano, no Chan, prova reservada para os jogadores que alinham apenas nos campoenatos dos respectivos países, Angola ficou afastada nos quartos-de-final, ao perder por 2-1, para a Nigéria, após prolongamento, disputado após igualdade a uma bola.
Orientada já por Vasiljevic, os Palancas Negras, estavam a ganhar as  Super Águias por 1-0, até aos 90 minutos. Para a discussão do primeiro lugar, os Bafana Bafana da África do Sul jogam hoje às 16h00, com a Zâmbia, Chipolopolo. Um desafio aguardado com enorme expectativa devido a rivalidade entre os referidos países.

Tempo

Multimédia