Desporto

Palancas Negras estão com contas facilitadas

Matias Adriano | Agadir

Depois da vitória sobre os Camarões, e de o Burkina Faso se ter deixado vergar pelo Congo, já se pode dizer, com alguma dose de optimismo, que Angola está com um pé nos quartos-de-final. Só mesmo com a praga de todos bruxos do mundo se pode ver arredada na primeira fase. O próximo jogo tem lugar na quarta-feira, às 20h30 (tempo de Angola) diante do líder do grupo.

Angolanos pretendem fazer melhor do que no duelo com os Camarões no jogo com o Congo
Fotografia: Cafonune.com

No quadro das matemáticas que fazemos, os Palancas precisam apenas de um ponto para passarem para outra fase, havendo inclusive possibilidades de o fazerem, mesmo perdendo. Pois, com os Camarões já fora de cena, e com o Congo apurado, apenas o Burkina Faso constituiu alguma ameaça. Ainda assim, sem motivos para temores. 

Angola tem um saldo positivo de um golo e o Burkina Faso negativo de dois golos. Logo, mesmo que venha a ganhar aos Camarões terá de fazê-lo com uma boa margem de golos. Se for por 1-0 fica com saldo negativo de um golo, e Angola perdendo por 1-0 fica com saldo nulo. Logo fica em vantagem. Entendida esta equação, só não vai aos quartos-de-final, caso queira dar um brinde aos burkinabes.

Por outro lado, com orgulho de “rei da selva”, não vemos o Indomável Leão, ferido,  a deixar a prova em branco. É quase certo que Rigobert Song e pupilos vão tentar dar tudo mais alguma coisa para, pelo menos, conseguirem um ponto de honra, sendo este quesito que surge a baralhar as contas do Burkina Faso. Tudo isso só beneficia os Palancas Negras.

Portanto, para Srjdan Vaseljevic e pupilos as coisas estão facilitadas. O resto, é uma questão de saber gerir a situação, não embandeirar em arco, porque o mínimo descuido pode ser fatal, o que seria, a acontecer, um rude golpe para quem já se imagina a jogar na fase seguinte. Agora é só aplicar a inteligência, nada mais pode complicar o percurso.

 

Regresso ao trabalho

Depois de uma pausa, observada ontem no período da manhã, para compras, a equipa efectuou ao princípio da noite , às 18h00,  um treino de recuperação e adaptação ao clima, já que o próximo jogo  se disputa  à noite.de  Bafejada pelo capricho do sorteio, Angola não muda de campo, deslocação que pode ser penalizaste, não só pela distância de um lugar para o outro, como também pela necessidade de ter de se adaptar a novo ambiente e clima.

O jogo com o Congo volta a ser no Grande Estádio de Adrar, que já domina. O trabalho a desenvolver vai consistir na recuperação física e na definição da estratégia do jogo diante do Congo, “pai grande” do grupo. Pois, será um outro jogo difícil, já que os congoleses se podem dar ao luxo de escolher adversários nos quartos-de-final.

Vejamos: se tiverem preferência pelo segundo classificado do Grupo C, que cruza com o A, onde as coisas ainda não estão clarificadas, vão pressionar para salvaguardar o primeiro lugar, caso contrário não farão um jogo sem muita intensidade, o que será benéfico para Angola. Mas não é por facilidades concedidas que deve esperar uma equipa em competição.

Tempo

Multimédia