Desporto

Pedro Godinho descarta anulação das competições

O presidente da Federação Angolana de Andebol (FAAND), Pedro Godinho, afirmou que seria precipitado anular as provas devido à Covid -19, porque entende que a época deve ser jogada, até ao final do ano, em nome da verdade desportiva.

Fotografia: DR

Em entrevista à Angop, disse que, após o anúncio da pandemia em Março, a Federação, aconselhada pelo Centro de Medicina Desportiva, suspendeu preventivamente os campeonatos provinciais. Seguiu-se o comunicado do Ministério da Juventude e Desportos, orientando igual procedimento em toda a actividade desportiva.

Referiu que o calendário de competições será reprogramado, assim que for emitido outra comunicação a autorizar o retorno, nos moldes que a Direcção Nacional de Saúde indicar. Reiterou não existir, ainda, motivos para a anulação dos provinciais (qualificativos aos nacionais), até porque a Federação Internacional de Andebol também alterou a calendarização em função da pandemia.

O Campeonato do Mundo em juniores femininos será disputado em Dezembro no qual Angola participará com jogadoras que evoluirão no nacional.
“Não vejo razões para anular já, de forma precipitada, os campeonatos provinciais que decorriam”, sustentou, acrescentando que será menos penoso concertar com as associações novas formas de disputa para a atribuição do título.

Uma das alternativas, segundo Godinho, seria encurtar os eventos, optando, por exemplo, por jogar em cinco voltas (ao invés de dez) para permitir a efectivação dos Campeonatos Nacionais, geralmente realizados a partir de Outubro. Pedro Godinho vai aguardar o levantamento da suspensão, por parte do Ministério de tutela, para reunir com as associações e clubes, visando uma decisão. Godinho explicou que irá jogar com a orientação das instituições quanto ao regresso às competições, para a elaboração de novo calendário.

Tempo

Multimédia