Desporto

Pepé António oficializa candidatura ao cadeirão

Gaudêncio Hamelay | Lubango

O radialista Pepé António oficializou, terça-feira, na cidade do Lubango, a candidatura ao cargo de presidente de direcção da Associação Provincial de Futebol da Huíla (APFH), para o ciclo 2020/2024, cujo pleito decorre no próximo mês de Junho.

Jornalista da Emissora Provincial da RNA (ao centro) está ligado ao futebol há várias décadas
Fotografia: Arão Martins| Edições Novembro

O antigo defesa central do Desportivo da Chela (actual Benfica do Lubango) reuniu o elenco com quem pretende concorrer às eleições, tendo apresentado as linhas de força, cujo estandarte passa por primar pela “justiça” no futebol huilano. Defendeu ser necessário unir sinergias para o bem do futebol provincial. “Com força de vontade, é possível termos patrocinadores com vista ao engrandecimento do futebol”.

Para tal, acrescentou, são necessários recursos financeiros, apelando aos huilanos e agentes desportivos para ajudar no engrandecimento do “desporto-rei”, pois a Associação de Futebol, de forma isolada, não irá fazer nada. “Será um programa de acção que ficará no papel. E nós não queremos ter esse programa só no papel. Queremos implementá-lo. Por isso, todos os que constituem a nossa lista são ex-praticantes de futebol e dirigentes desportivos, para poder revitalizar o futebol”, garantiu.

Sob o lema “recrutar os homens do futebol, para revitalizar a modalidade”, o candidato Pepé António assegurou estar convicto que tem noventa por cento de probabilidade de vitória, e assumir o cadeirão máximo da associação.

Admitiu que a modalidade na Huíla está um pouco adormecida, daí ter sido motivado pelos clubes huilanos a candidatar-se. Salientou ter conseguido reunir na lista de candidatura homens que praticaram em tempos idos, e outros que continuam de forma recreativa, para mudarmos o actual quadro.

Caso vença as eleições, António pretende organizar competições desde os escalões de Sub-9, passando pelo futebol feminino, Sub-20, seniores e Velhas Guardas todos os meses. “Teremos um leque grande de competições, que irá culminar aos sábados e domingos (manhã e tarde), numa grande explosão de futebol”, referiu.

O aspirante ao cadeirão máximo da associação da Huíla garantiu também que a província terá de passar a ter competição durante todo o ano, ao invés de contar com três meses de disputa e nove de defeso: Vai ser ao contrário. “Vamos ter uma competição de nove meses, desde os escalões de Sub-9 até à Velha Guarda. Tudo isso está no programa de acção. Por isso, vamos fazer uma calendarização, que consiga manter o futebol huilano revitalizado”, confirmou.

Tempo

Multimédia