Desporto

Pérolas derrotam o Japão no quinto jogo de treino

Teresa Luís |

Disputados cinco jogos de controlo de alto nível, com equipas de topo, a Selecção Nacional sénior feminina de andebol  conquistou ontem a primeira vitória, diante da similar do Japão, por 22-21, na primeira jornada do Torneio Internacional de Oita.

Jogadoras escolhidas para o estágio alteraram a tendência das partidas de Kumamoto
Fotografia: CYPRUS |

A prova, que decorre no país do sol nascente até amanhã, está inserida na preparação para o Campeonato do Mundo, a disputar-se na Alemanha de 1 a 17 de Dezembro próximo, com a presença de 24 selecções, divididas em quatro grupos.
Apesar do triunfo tangencial, as campeãs africanas às ordens de Morten Soubak  entraram determinadas em se redimir da derrota sofrida do torneio de Kumamoto. Ao intervalo as selecções produziram o parcial de 13-11, favorável ao “sete” nacional.
No reatamento, as Pérolas marcaram oito golos contra dez das nipónicas, mas ainda assim as pupilas de Soubak conseguiram conservar a vantagem. Com cinco golos, a meia-distância central Isabel Guialo “Belinha” foi a unidade  mais produtiva. As laterais Juliana Machado, Aznaide Carlos  e Magda Cazanga somaram cada três tentos, a par da pivô Albertina Kassoma.
Vilma Neganga, meia-distância central, marcou dois golos. Dalva Perez , Vilma Silva e Janeth Santos apontaram cada um. Hoje às 6h00, tempo de Angola, o “sete” nacional defronta a Polónia. No encontro com as polacas, as comandadas de Morten Soubak pretendem fazer melhor e, se possível, somar mais um triunfo.
Angola encerra a preparação após o jogo com a selecção B do Japão. O regresso das Pérolas está previsto para terça-feira. No derradeiro estágio, marcado para Novembro, a equipa nacional disputa o torneio das Quatro Nações, em Paris, capital francesa.
Em cinco jogos, as Pérolas averbaram quatro derrotas, com a Noruega (27-32) e (24-30), Polónia (28-30), Japão A (28-29) e um triunfo com o Japão (22-21). Marcaram 129 golos e consentiram 142. Com uma média de 23 anos, o “sete” nacional é composto por um misto de atletas experientes e novatas.
Helena de Sousa e Swelly Simão (guarda-redes), Aznaide Carlos, Magda Cazanga, Juliana Machado e Ngalula Kanka (meias- distância), Isabel Guialo, Dalva Peres,Vilma Nenganga e Helena Paulo (centrais), Janeth dos Santos, Voineti Domingos, Natália Kamalandua e Vilma da Silva (pontas), Albertina Kassoma e Ríssia Oliveira (pivôs) são as jogadoras à disposição de Morten Soubak.

Angola em mundiais
Angola  completa 27 anos de participação ininterrupta em mundiais séniores feminino, depois da estreia em 1990, na Coreia do Sul. Na época apenas 16 selecções discutiam o título. As campeãs africanas terminaram no último lugar, classificação repetida em 1993, na Noruega.
Em 1995, na porva organizada pela Hungria e Áustria, o "sete"nacional ocupou o décimo sexto posto, à frente dos EUA, Costa do Marfim, Brasil e Canadá, num total de 20 participantes. Dois anos depois, na Alemanha, já com o actual figurino (24 selecções), Angola manteve a classificação.
As Pérolas subiram um degrau em 1999, no Mundial diputado na Noruega e Dinamarca. Na Itália, em 2001, terminaram no décimo terceiro posto da tabela classificativa, tendo vencido pela primeira vez equipas europeias.
Dois anos depois, na Croácia, Angola retrocedeu e posicionou-se no décimo sétimo lugar, prestação igualada na Rússia, em 2005. O sétimo lugar, em França ‘2007, décimo primeiro na China’ 2009 e o oitavo no Brasil, em 2011, são os melhores registos.
Nas três edições, as angolanas derrotaram selecções como da França, Croácia, Dinamarca, Coreia do Sul e Alemanha. Em 2013, na Sérvia, e no último o Mundial, na Dinamarca, em 2015, caíram na tabela classificativa, terminando no décimo sexto lugar.

Tempo

Multimédia