Desporto

Petro de Luanda e Smouha jogam primazia no Grupo D

Anaximandro Magalhães

Qualificadas em antecipação para a elite G8, Petro de Luanda e Smouha, do Egipto, decidem hoje às 13h00, no Pavilhão dos Desportos Mahamasina, na cidade de Antananarivo, Madagáscar, a primeira posição da Série D da fase de grupos da AfroLiga dos clubes campeões sénior masculino de basquetebol.

Extremo-poste Leonel Paulo (13) tem sido uma das peças chave do técnico Lazare Adingono
Fotografia: DR

Galvanizados e comprometidos em assegurar o lugar cimeiro do topo classificativo, angolanos e egípcios tudo hão de fazer para fechar em apoteose a disputa desta etapa.
Invictas e atinadas no mesmo diapasão: a vitória, e consequentemente a conquista dos dois pontos, Petro e Smouha dispõem de jogadores com qualidade técnica individual equiparadas para materializarem o desiderato.
Mesmo sem ser decisivo, sobretudo por ambas já estarem apuradas, ainda assim, a partida entre as líderes da prova com quatro pontos, mexe com o ego dos atletas em campo, para mais tratando-se de formações oriundas de países eternos rivais na modalidade em África.
A Lazare Adingono e pupilos recomenda-se uma postura diferente da demonstrada nos encontros anteriores frente ao Club Omnisports Police Nationale (COSPN), do Madagáscar, e ASB Mazembe, do Congo Democrático, jogos em que apesar de terem ganho permitiu nalguns instantes o agigantamento dos adversários.
Cientes da qualidade do opositor, certamente que Leonel Paulo e Olímpio Cipriano, dois dos mais experientes jogadores do plantel tricolor vão seguramente apelar aos colegas para a necessidade de melhorarem o controlo da bola e a posse da mesma no ataque, sob pena de ao perderem-na vezes sem conta verem o resultado desequilibrar.
Lazare pode fazer alinhar hoje os seguintes atletas: bases, Childe Dundão e Joaquim Pedro “Quinzinho”, extremos, Olímpio Cipriano, José António, Gerson Gonçalves, Rafael Silva, António Deográcio e Adolfo Quimbamba, extremo-poste, Leonel Paulo e Manda João, postes, Aldemiro João “Vander”, Hermenegildo Mbunga e Aboubakar Gakou.
O técnico do Smouha tem disponíveis: Justice James, Sarhan Marwan, Saaka Adamu, Okosun Augustine, Farag Ahmed, Rabie Ashraf, Moustafa Tamer, Farag Omar, Elsafwanny Raouf, Elkoussy Mohamed, El-Dyasti Sherif e Abouelrish Hamad.

Vitória sobre o Mazembe
Ontem, os petrolíferos vergaram por 74-61, o ASB Mazembe, do Congo Democrático. A partida foi pontuável para a segunda de três jornadas do torneio pioneiro da FIBA-África. Sem permitir veleidades ao seu cesto, o conjunto do Eixo Viário entrou de rompante ganhando por 22-15, o primeiro quarto.
Ao intervalo, Adingono e comandados venciam por 36-31, com o parcial de 14-16, vantagem para os congoleses. O vice-campeão angolano venceu ainda por 21-17 e 17-13, o terceiro e quarto períodos.
Por sua vez, o Smouha derrotou copiosamente, 119-50, o COSPN. Os egípcios bateram sem apelo nem agravo os malgaxes, e impuseram a primeira chapa cem do novo formato de competição imposto pelo órgão reitor da modalidade.
De 1 a 3 de Março entram em cena as equipas do Grupo A, AS Salé (Marrocos); R.Hoopers (Nigéria); JS Kairouan (Tunísia) e SLAC (Guiné-Conacry), enquanto de 8 a 10, jogam para a Série B: ES Radés (Tunísia); Defenders (Nigéria); Elan BBC (Benim) e BC Terreur (Congo).
De 22 de Março a 14 de Abril disputa-se o elite G8, constituída pelas oito melhores formações, ao passo que a final-four se realiza de 3 a 5 de Maio. O AS Salé do Marrocos é o detentor do troféu, ganho em 2017 na Tunísia.

Tempo

Multimédia