Desporto

Petro ou 1º de Agosto só um pode chegar a final

Anaximandro Magalhães

Dois candidatos para um só lugar, é esta a condição a que estão submetidas as equipas do Petro de Luanda e do 1º de Agosto, por somente uma poder disputar em Maio, em país a indicar pela FIBA-África, a final “four” da edição “pioneira” da AfroLiga dos clubes campeões sénior masculino de basquetebol, fase de discussão pela conquista do título.

Militares foram primeiros classificados do Grupo C e tricolores do Eixo Viário segundos do D
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Quis o destino que a discussão pelo passe de acesso à etapa seguinte fosse entre os dois maiores colossos do basquetebol angolano e africano, pois juntos somam 10 taças das 31 edições disputadas da extinta Taça dos Clubes Campeões. 

Deste modo, Angola, é ponto assente, estará representada apenas por um destes clubes. O cruzamento entre petrolíferos, às ordens de Lazare Adingono, e militares, sob comando de Paulo Macedo, era previsível por ambas terem sido sorteadas nos grupos D e C, cujos regulamen-tos obrigam o cruzamento do primeiro com o segundo e vice-versa.
Líderes invictos da Série C, com seis pontos, os agosti-nos, primeiros a entrarem em cena na fase de grupos, jogada de 8 a 10 do corrente, na cidade do Cairo, Egipto, não sabiam que, ao terminarem no pódio, a sorte lhes seria “irmã” em-bora desportivamente ambas sejam rotuladas por eternas rivais desportivas.
Segundos do grupo D, com cinco pontos, atrás do Smouha, do Egipto, os tricolores do Eixo Viário não têm escapatória senão começar a gizar já os dois confrontos cuja primeira mão está marcada para os dias 22 a 31 de Março, e a segunda, de 5 a 15 de Abril.
Na cidade de Antananarivo, Madagáscar, onde jogou de 15 a 17 do corrente, Adingono e pupilos começaram com dois triunfos sobre os anfitriões do Clube Ominisports Police Nationale (COSPN), 99-76, e a posterior frente ao ASB Mazembe. No encerramento, o percalço por 62-79 foi diante do Smouha.
No total, o Petro marcou 235 pontos, média de 78,3 por desafio, e sofreu 216, 72 por encontro. Por sua vez, o 1º de Agosto fez jus aos prognósticos e ao estatuto de principal candidato à qualificação para a Elite G8. Na estreia, os rubro e negros ganharam por 86-77, ao Al Ahly, anfitrião do evento.
Na segunda jornada, novo triunfo, 70-64, diante do REG BBC, do Rwanda, e no fecho, 87-55, frente ao Ferroviário da Beira (Moçambique). Os militares do Rio Seco marcaram 243 pontos, no cômputo geral, média de 81 pontos por partida. Defensivamente, Armando Costa, Manny Quezada, Edson Ndoniema e colegas sofreram 196, média de 65 pontos por partida.
De 1 a 3 de Março, defrontam-se no grupo A AS Salé (Marrocos); R. Hoopers (Nigéria); JS Kairouan (Tunísia) e SLAC (Guiné-Conacry).
No B, estão ES Radés (Tunísia); Defenders (Nigéria); Elan BBC (Benin) e BC Terreur (Congo), em encontros previstos de 8 a 10 de Março.
Tal como Angola, o Egipto terá também apenas um representante, pois o Al Ahly e o Smouha, jogam entre si.

Tempo

Multimédia