Desporto

Petro de Luanda surpreendido em casa

António Cristóvão

O Petro de Luanda registou ontem a primeira derrota no Campeonato Nacional de Futebol da I Divisão, Girabola'2018/2019, ao perder com o FC Bravos do Maquis, por 0-2, no Estádio Nacional 11 de Novembro, em Luanda, em jogo de acerto da 7ª jornada.

Eficácia ofensiva e agressividade defensiva foram as armas utilizadas pelos maquisardes

O desafio começou com futebol incaracterístico de ambas as partes, com realce para os tricolores que jogaram na condição de anfitriões. Depois do período menos bom do jogo, Mussumari rematou forte a 35 metros da baliza bateu o guarda-redes Gerson Barros, do Petro de Luanda, e inaugurou o marcador, aos 18 minutos, com largas culpas para o sector defensivo do Petro, que permitiu o remate do médio ofensivo do Maquis.
O avançado Chico, me-lhor marcador do Girabola, com seis tentos, marcou o segundo do Maquis na etapa complementar.
Com a entrada de Tony, Karanga e Carlinhos no Petro, o conjunto de Beto Bianchi passou a chegar mais vezes ao ataque e criou constantes perigos para a baliza da formação do Moxico, mas o  seu sector defensivo conseguiu conservar a vantagem.
O técnico Zeca Amaral montou um esquema defensivo que dificultou todas as acções ofensivas dos tricolores. A equipa do Eixo Viário também revelou um conjunto com falta de eficácia dos  dianteiros. Na parte final do desafio desperdiçou várias oportunidades para marcar, no mínimo para igualar o desafio.
O histórico dos jogos entre si é bastante favorável aos tricolores, que nos 12 encontros oficiais contra o FC Bravos do Maquis venceram por onze  ocasiões contra uma do adversário. Com esta derrota, o Ma-quis interrompeu o ciclo de triunfos do Petro, desde 1998 no Girabola em Luanda, e ascendeu ao quarto lugar, com 14 pontos.
A equipa do Eixo Viário caiu para quinta posição da tabela classificativa, com 11 pontos, e desperdiçou a oportunidade de encostar-se ao Kabuscorp do Palanca no segundo lugar com 14.
No outro desafio de acerto para a sexta jornada do Girabola, marcada para ontem, o Saurimo FC falhou a deslocação para a província do Huambo por falta de transporte, onde deveria jogar com o Recreativo da Caála. A aeronave do projecto Catoca continua em terra, a aguardar pela licença para voar.
Com mais esta situação, o Conselho Técnico Desportivo da Federação Angolana de Futebol (CTD da FAF) deve remarcar uma próxima data para o desafio. O Caála encontra-se na zona aflita, no 13º lugar da tabela classificativa, com oito pontos, enquanto a formação da Lunda-Sul segu-ra a “lanterna vermelha” na 16ª posição com cinco.

  Progresso e Desportivo antecipam jornada

Progresso Sambizanga e Desportivo da Huíla abrem hoje, às 17h00, no Estádio Municipal dos Coqueiros,  a disputa da nona jornada do Girabola 2018/19, a pedido da formação “sambila.”
Com o objectivo de garantirem a permanência  ainda no primeiro turno do campeonato, “sambilas” e “militares” da Região Sul disputam um jogo de elevado grau de dificuldade e favoritismo repartido, visto que os contendores focalizam os seus intentos na conquista dos três pontos.
Na condição de visitado, o Progresso procura a segunda vitória caseira, depois do feito alcançado na terceira jornada diante do Recreativo da Caála, ao vencer por 3-1, em Luanda.
À semelhança da equipa anfitriã, o Desportivo da Huíla persegue o segundo triunfo fora de portas, depois de ter derrotado o Santa Rita do Uíge, por 0-1, no Estádio 4 de Janeiro,  para a sétima jornada da competição.
Ambas com dez pontos, o Progresso ocupa a sexta posição, ao passo que o Desportivo da Huíla vem logo a seguir, com os mesmos pontos. Na ronda passada, os sambilas empataram (1-1) diante do Interclube, enquanto os militares da Região Sul venceram, por 2-0, a Académica do Lobito.

Tempo

Multimédia