Desporto

Petro desperdiça pontos num festival de penalties

Honorato Silva

Numa partida com desfecho encontrado de maneira inusitada, pela marcação de duas grandes penalidades para cada uma das equipas e muita contestação à mistura, o Petro de Luanda deixou escapar a possibilidade de alargar a vantagem na liderança, ao empatar (2-2), frente ao Recreativo do Libolo, ontem, em jogo referente à 24ª jornada do Girabola.

Interclube empata e falha colagem aos líderes da prova
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

Com o clássico 76, diante do 1º de Agosto, no horizonte, os tricolores voltaram a experimentar dificuldades em triunfar na deslocação à vila de Calulo, num momento em que os donos da casa procuram, sob o comando de André Macanga, depois da saída de Kito Ribeiro, terminar a prova numa posição mais próxima do estatuto criado com a conquista de quatro títulos.
Os brasileiros Magrão, pelo Libolo, e Thiago Azulão, por parte do Petro, marcaram os golos da partida, que teve de tudo um pouco, inclusive invasão de campo de um adepto descontente com a decisão do árbitro, situação que põe em causa a segurança do recinto desportivo.
A igualdade coloca os petrolíferos com 41 pontos, na liderança, agora sem a companhia dos rubros e negros, inactivos da jornada, na qual jogam frente ao Recreativo da Caála, por terem defrontado o Zesco United FC, terça-feira, na cidade zambiana de Ndola, para o Grupo D da Liga dos Clubes Campeões Africanos. Os libolenses, 27 pontos, continuam na nona posição.

Queda no Buraco
Irrepreensível na primeira volta, a Académica do Lobito, estorvo para os colossos  1º de Agosto e Petro, pela invencibilidade no Girabola, acabou enterrado, ontem no Buraco, ao ser derrotado (0-2) pelo Sagrada Esperança, numa disputa entre equipas tranquilas na tabela classificativa.
O Sporting de Cabinda foi mais forte, no desafio entre equipas sensação da prova, com o triunfo (1-0), na recepção ao Desportivo da Huíla. Em Benguela, o Progresso Sambizanga recuperou três dos seis pontos retirados por castigo imposto pela FIFA, ao derrotar o 1º de Maio, por 1-0, desfecho que complica a situação dos “proletários”, atolados na zona de despromoção.
Ainda à procura da tranquilidade, o FC Bravos do Maquis derrotou o também aflito Cuando Cubango FC, por 1-0, enquanto na última partida do dia, Kabuscorp do Palanca e Interclube empataram a um golo.

Tempo

Multimédia