Desporto

Petro está na última eliminatória

António de Brito

À semelhança do resultado do jogo da primeira “mão”, o Petro de Luanda garantiu ontem, com vitória de 1-0,  o apuramento para a última eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça CAF, e afastou o Nyuki do Congo Democrático da competição, no Estádio Nacional 11 de Novembro, com golo de Tiago Azulão.

Tricolores quebraram a resistência dos congoleses na segunda metade da desafio
Fotografia: Mota Ambrósio | Edições Novembro

Petro entrou muito determinado, porque estava obrigado a vencer por uma margem folgada, depois da vitória por 1-0 conseguida na cidade de Kinshasa.
Com o tradicional sistema táctico 4-4-2, desdobrável no 4-3-3, o Petro de Luanda criou várias ocasiões de golo, por intermédio de Job,Tony e Tiago Azulão, mas sem as concretizar. Como a equipa angolana atacava pelas laterais, a formação congolesa inteligentemente subiu as suas linhas, o que obrigou o Petro a defender no seu meio- campo. A estratégia montada pelo treinador Aruna Arnald retirou criatividade e iniciativa de jogo ao vice-campeão angolano. Em ataque organizado, o Nyuki chegava com relativa facilidade à baliza adversária, mas revelou falta de eficácia.
Conhecendo o potencial e a experiência dos petrolíferos nas provas da CAF, o técnico congolês apresen-tou um conjunto a defender no 4-5-1 e a atacar no 4-4-2, de modo a surpreender os anfitriões.
Aos 23 minutos, o Nyuki desperdiçou uma situação clara de golo. O avançado Otaba antecipou-se ao central Wilson à entrada da área e desferiu um portentoso remate, mas a bola encontrou as malhas laterais da baliza de Gerson.
A quatro minutos do final do primeiro tempo, com o guarda-redes Kambale já batido, Tony não teve calma e serenidade para fazer o golo. Tendo em conta os objectivos de ambas, assistiu-se a uma primeira parte disputada sob  o signo do equilíbrio, com o Nyuki mais ousado.
No reatamento, o Petro surgiu mais esclarecido, depois das dificuldades apresentadas pelos forasteiros na primeira parte. Roberto Bianchi teve de mexer na táctica da equipa, com os médios trincos Além e Herenilson mais versáteis na condução do jogo ofensivo. Tony e Tiago Azulão passaram a ter mais bola e a incomodar com mais frequência a baliza de Kambole. Na sequência de um livre directo cobrado por Job, Tiago Azulão concluiu de cabeça, aos 65 minutos.
Em consequência da pressão exercida sobre o Nyuki, numa troca de bola com Job, Além foi derrubado na área. O árbitro moçambicano não teve contemplações e assinalou a grande penalidade. Na cobrança, Tiago Azulão falhou .

  Bianchi enaltece entrega dos atletas

Roberto Bianchi, treinador do Petro de Luanda, valorizou a vitória sobre o Nyuki e enalteceu o espírito combativo do colectivo, depois de não ter feito uma boa primeira parte. “O jogo foi difícil, principalmente na etapa inicial. O adversário controlou o jogo e fechou as linhas de passe. Não foi fácil defrontar o oponente”, reconheceu, acrescentando que o mais importante foi passar a eliminatória, e aproveitou para felicitar os jogadores pela bravura demonstrada em campo.
Do lado da formação congolesa, o técnico Aruna Arnald referiu que o conjunto angolano ganhou o jogo nos detalhes.\" O Petro é uma equipa muito experiente, e venceu o encontro sem qualquer contestação. Não aproveitámos as oportunidades criadas. Quando assim é, paga-se caro. Seja como for, valeu a nossa experiência nas competições africanas. Esperámos fazer melhor numa próxima participação\".
O treinador do Nyuki aproveitou a ocasião para desejar boa sorte ao Petro de Luanda.
\" Faço votos que garantam o apuramento para a fase de grupos. A equipa angolana está a fazer uma excelente campanha\".

Tempo

Multimédia