Desporto

Petro perde oportunidade para reforçar a liderança

António de Brito

Ao aproveitar a folga do 1º de Agosto, por força da desistência do JGM do Huambo, o Petro de Luanda desfez ontem a partilha da liderança, ao empatar (1-1) diante do Sporting de Cabinda, no Estádio Municipal do Tafe, em partida referente à 22ª  jornada do Girabola. Com este resultado, a formação petrolífera soma 40 pontos contra 39 da equipa militar, em segundo lugar.

Brasileiro Tony saltou do banco de suplentes para dar o golo da igualdade aos tricolores
Fotografia: Santos Pedro|Edições Novembro

Jogo emotivo do primeiro ao último minuto, o Petro de Luanda sofreu para repor a igualdade no marcador, porque perdia no primeiro tempo por 1-0, golo apontado por intermédio de Castro, aos 30 minutos.
Inconformado com a desvantagem no placar, o técnico Roberto Bianchi colocou Tony no lugar de Maludi, para empatar o encontro, aos 70 minutos. À semelhança do 1º de Agosto, as formações do Sporting de Cabinda e do Petro de Luanda ainda não perderam no segundo turno do campeonato. Em quinto lugar, com 27 pontos, os leões estão a efectuar uma prova digna de realce, diga-se de passagem, com o objectivo de evitar a despromoção.
A realizarem uma campanha de tirar-se-lhe o chapéu, Académica do Lobito e Desportivo da Huíla empataram ontem a zero, no Estádio Municipal do Buraco, num jogo que acabou por confirmar a tendência dos adeptos do futebol.
Com a repartição de pontos, os militares da Região Sul mantém-se na quarta posição, com 32 pontos, ao passo que os estudantes lobitangas figuram no sexto lugar, com 27 pontos.
Depois de 12 empates seguidos, o Progresso Sambizanga teve de esperar pelo Cuando Cubango FC para regressar às vitórias no campeonato.Yapo, congolês democrata, marcou o único golo do desafio, aos 24 minutos. Apesar da vitória, o Progresso continua na nona posição, com 25 pontos. A formação de Menongue está logo a seguir, com 21.
Com quatro golos, 1º de Maio de Benguela e Sagrada Esperança empataram (2-2) ontem, no Estádio Edelfride da Costa Palhares "Miau", num jogo em que os proletários restabeleceram a igualdade de grande penalidade, por intermédio de Et'oo, aos 86 minutos. Com 26 pontos, o Sagrada continua na sétima posição, enquanto o 1º de Maio ascende ao 13º lugar, com 18.

Focado no título de campeão
Apesar de a direcção presidida por Alves Simões rejeitar a candidatura ao título, pelo sim ou pelo não, o Interclube mantém a perseguição ao Petro de Luanda e 1º de Agosto, na ânsia de reassumir a liderança da prova, depois de ter estado no comando durante 13 jornadas, na primeira volta.
Sábado, na deslocação ao Luena, o Interclube venceu o FC Bravos do Maquis, por 1-0, totalizando 37 pontos. Com esta derrota, a formação do Moxico continua na zona de desconforto, estando na 12ª posição, com 20 pontos. No campeonato, a equipa de Zeca Amaral tem a situação tremida, pois necessita de 16 pontos para assegurar a manutenção.
No Recreativo do Libolo, a “chicotada psicológica” parece ter funcionado, já que a equipa vinha de três derrotas seguidas. A troca do técnico Kito Ribeiro por André Makanga, por força dos maus resultados já começa a dar frutos. O Libolo recebeu e goleou, por 4-1, o Recreativo da Caála.
Com a permanência ainda indefinida, o conjunto do Cuanza-Sul continua atrás do objectivo, uma vez que ocupa a oitava posição, com 25 pontos. O Caála mantém-se na cauda da classificação, com 16 pontos.
A jornada encerra hoje, com o Kabuscorp do Palanca a receber o Domant do Bengo, às 16h00, no Estádio Municipal dos Coqueiros, com o claro objectivo de regressar às vitórias, após as derrotas com o 1º de Agosto (5-0) e Petro de Luanda (1-0).

Tempo

Multimédia