Desporto

Petro relança a disputa após vencer 1º de Agosto

Armindo Pereira |

O Petro de Luanda relançou a disputa do título da 40ª edição do Campeonato Nacional sénior masculino de basquetebol , ao vencer ontem o 1º de Agosto, por 100-90, no pavilhão Multiusos do Kilamba, com os favoráveis 46-39 ao intervalo, no primeiro triunfo dos tricolores, na série dos sete jogos dos playoffs da final.

Irreverência da juventude tricolor tirou proveito do factor casa para equilibrar a eliminatória
Fotografia: Paulo Mulaza | Edições Novembro

A partida teve um início marcado por alguma ansiedade de parte a parte, que se traduziu num espectáculo pobre, dado o potencial das duas equipas. Em seis minutos decorridos, a partida encontrava-se igualada a cinco pontos.
O jogo com características de início de época veio a conhecer outra dinâmica, depois que os dois treinadores fizeram mexidas nas respectivas equipas iniciais. Para gáudio dos aficionados da modalidade, os jogadores despertaram com eficácia nos lançamentos.
Os tricolores estiveram melhor e suplantaram os militares, por 18-15. As equipas regressaram ao "parqué" dispostas a dar o melhor de si, mas com ligeiro ascendente para  o Petro de Luanda, que se apresentou mais coeso a defender para preocupação de Paulo Macedo, técnico militar.
Childe Dundão, base dos petrolíferos, imprimiu a velocidade que lhe é  característica, para ajudar a sua equipa a lograr oito pontos nos instantes finais, do segundo quarto. O Petro saiu para o intervalo em vantagem  (49-39), dando o primeiro sinal de que estava disposto reduzir a desvantagem, de 2-0, na eliminatória.
No parcial, os pupilos de Lazare Adingono concretizaram 29 pontos contra 24 do adversário. Como era de esperar, as duas equipas entraram ainda mais coesas, com os ataques a superarem as defesas. A dada altura, os lançadores de serviço do Petro de Luanda forçaram Paulo Macedo a solicitar desconto de tempo.
A diferença estava na casa dos dois dígitos (62-52), com Leonel Paulo e Gerson Gonçalves "Lukeny" em bom plano.  Em resposta, Paulo Macedo decide dar mais velocidade, e lançou para a quadra o base Carlos Cabral, que não havia sido utilizado nas duas partidas anteriores.
Com alguma tranquilidade, os petrolíferos conseguiam manter a diferença pontual, relativamente folgada, ao passo que os rubro e negros não conseguiam encontrar o "antídoto" adequado para travar o ascendente dos "donos da casa".
Contrariamente aos outros jogos, o Petro de Luanda conseguia impor o seu basquetebol,  sempre muito certeiro nos lançamentos de curta e longa distância, ao passo que os militares tentavam correr atrás do resultado, mas sem sucesso nas acções ofensivas, e voltaram a perder o terceiro quarto, desta por 74-59.
Quando se esperava por uma reacção do clube central das Forças Armadas Angolanas, foram os petrolíferos quem continuaram a passear classe. Lazare Adingono fazia substituições e a equipa conseguia manter o nível de produção ofensiva.
A passividade defensiva do 1º de Agosto traduzia bem o estado de espírito da equipa, numa altura em que perdia por expressivos 90-72, a cinco minutos do fim. Com a vantagem folgada, os petrolíferos abrandaram competitivamente, o que, de certa forma, foi aproveitado pelos visitantes.
Pouco ou nada havia para fazer. Restou ao Petro gerir e garantir a primeira vitória, por 100-90, sobre o 1º de Agosto neste campeonato nacional. As equipa vão descansar hoje, e regressam amanhã, às 18h00, no mesmo recinto para o jogo quatro.
Lazare Adingono disse, no final da partida, que os seus jogadores cumpriram com o que  tem sido ensaiado. Agradeceu o apoio dos adeptos, e espera pela mesma postura no próximo desafio.

Tempo

Multimédia