Desporto

Presença no Quénia reforça objectivos

Honorato Silva | Jornalista

A presença dos Palancas Negras na fase final do Campeonato Africano das Nações (CHAN), prova reservada a futebolistas que evoluem no continente, em Janeiro no Quénia, vai permitir ao seleccionador nacional, Roberto Bianchi, dar andamento competitivo aos girabolistas.

Natael e Nelson da Luz são duas apostas ganhas do técnico Roberto Bianchi
Fotografia: José Cola|Edições Novembro

O jogo da segunda jornada do Grupo I de qualificação para o CAN de 2019, nos Camarões, a ter lugar no 19 de Março no Estádio Nacional 11 de Novembro, frente ao Botswana, encontra acolhimento na competição interna continental, no que toca à rodagem competitiva dos jogadores a serem chamados do Campeonato Nacional. A decalagem existente entre os jogadores chamados do Girabola e os da diáspora futebolística, no início do ano, pelo facto da competição interna arrancar apenas em Março, pode ser reduzida com o aproveitamento do CHAN, prova na qual os Palancas Negras vão estar presentes com o propósito de discutir os lugares cimeiros.
Na definição dos objectivos à frente da Selecção Nacional, Bianchi elegeu a competição do Quénia como a prioridade, a julgar pelo equilíbrio entre os países concorrentes, sem colocar de parte uma abordagem mais ambiciosa da corrida ao CAN, apesar de atribuir o favoritismo aos Cavalos do Burkina Faso.      

Tempo

Multimédia