Desporto

Rafael Maria pretende alterar quadro actual

Paulo Caculo

O gestor de empresas Rafael Maria reafirmou, ontem, em declarações ao Jornal de Angola, estar crente no sucesso da sua candidatura ao “cadeirão” máximo da Associação de Futebol de Luanda (APFL).

Justifica o optimismo com o facto de acreditar que os clubes luandenses estão ávidos de ver alterado o quadro actual da modalidade na província. “Se for eleito para a direcção da Associação, a minha prioridade passará por mudar o actual quadro de competição. O nosso sucesso vai depender dos clubes, e do trabalho que a própria Associação desenvolver no futuro”, esclareceu Rafael Maria, para em seguida garantir estar preparado para impulsionar o futebol na capital do país.

“Decidi candidatar-me, porque amo e gosto de futebol. Quero ajudar os clubes. Mas, para tal, preciso do apoio destes para que possamos ajudar a organizar a modalidade em Luanda e potenciar os clubes. Irei focar o trabalho na melhoria do futebol em Luanda”, assegurou o gestor de empresas, de 38 anos.
Rafael Maria considera haver aspectos que precisam de ser melhorados ao nível dos programas de disputa dos campeonatos provinciais de Luanda, na organização dos clubes e as condições de trabalho para os escalões de formação.

“Temos a certeza de que podemos melhorar tudo que já foi feito. Precisamos alavancar a própria estrutura da Associação, porque Luanda é a maior montra do futebol em Angola, fornece o maior número de equipas aos campeonatos e, consequentemente, a província que maior número de talentos fornece às Selecções Nacionais”, acrescentou.

Como suporte à candidatura, Rafael Maria assegurou estar a contar com o apoio de algumas empresas, entre as quais destaca a produtora de equipamentos da marca Adidas. A aposta em projectos de formação de árbitros e em políticas de apoio aos clubes dominam, igualmente, as linhas de força do programa de acção.

Rafael Maria tem como opositores na corrida os candidatos Manuel Francisco, Francisco Teixeira, Abreu Neto e José Cardoso Ferreira. A data das eleições será conhecida após a Assembleia-Geral, agendada para o próximo dia 13 de Junho. Dos 54 filiados da APFL, apenas 25 vão às urnas, em virtude de parte dos clubes não ter realizado eleições, por imperativo do novo coronavírus.

Tempo

Multimédia