Desporto

Relatórios de actividades e contas foram aprovados

Teresa Luís

O apoio financeiros solicitado pelas distintas Associações Provinciais de Andebol, foi um dos temas mais debatidos na Assembleia-Geral Ordinária da Federação Angolana da modalidade (Faand), realizada ontem, na sede da instituição, cujo ponto alto foi a aprovação dos relatórios de actividade e contas.

Presidente (à direita) e vice da Mesa da Assembleia da Federação
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Segundo os sócios, em representação de 15 províncias, o crescimento do andebol depende das acções desenvolvidas pelos mesmos e caso contrário pode deixar de existir.
Para contrapor a situação, a direcção da Faand, presidida por Pedro Godinho reconheceu o problema e prometeu ajudar, com dois milhões de kwanzas. “Aguardamos pela verba do Orçamento Geral do Estado e o patrocínio da Unitel. Vamos disponibilizar o valor para as associações colmatarem algumas dificuldades. Não é muito. Mas é o que podemos fazer. A actual conjuntura económica e financeira não nos permite fazer mais. Cada presidente deve fazer um esforço para angariar apoios. Nós temos feito a nossa parte, então façam o mesmo”, disse.
O dirigente admitiu ser ineficiente a actuação da Federação na Região Leste e defendeu ter mais um ano e seis meses para melhorar. “Queremos aperfeiçoar o acompanhamento antes dos nacionais de juvenis e juniores. Podemos fazer mais”.
Questões relacionadas com a dupla categoria, adulteração de idades, integração dos treinadores nas diferentes equipas técnicas e a falta de bolas também mereceram a atenção dos participantes.

Tempo

Multimédia