Desporto

Resistência Croata

A Croácia defronta a França, no domingo no estádio Luzhniky, em Moscovo, na final da 21ª edição do Campeonato do Mundo de futebol, que decorre na Rússia, ao derrotar ontem a Inglaterra, por 2-1, após prolongamento, depois da igualdade a uma bola registada no tempo regulamentar.

Mário Mandzukic foi o autor do golo decisivo dos croatas
Fotografia: DR

Os ingleses adiantaram-se no marcador muito cedo, aos cinco minutos, resultado que se manteve até ao intervalo, de uma primeira parte em que os croatas deixaram os ingleses tomarem conta do jogo. A reacção da Croácia só aconteceu na segunda parte, procurando incessantemente o golo da igualdade, ante uma equipa inglesa que parecia satisfeita com a magra vantagem. A selecção croata foi apertando o cerco ao último reduto dos ingleses, pressão que veio a surtir efeito aos 68 minutos, com Perisic a restabelecer a igualdade. Os croatas continuaram a pressionar em busca do golo da vitória, mas a Inglaterra defendeu-se bem até ao final dos noventa minutos.
No prolongamento, a Inglaterra entrou mais afoita e procurou desfazer a igualdade, mas a Croácia, que parecia já algo cansada, reservou a reacção para a segunda parte do tempo extra, onde apareceu outra vez no comando das operações encurralando os ingleses no seu último reduto. Fruto desta avalanche ofensiva, surgiu o golo de Mandzukic, aos 109 minutos. A Inglaterra ainda tentou forçar as grandes penalidades, mas a Croácia soube fechar-se muito bem e conseguiu o maior feito da história do seu futebol, ao qualificar-se pela primeira vez para uma final do campeonato do Mundo.
A Croácia conseguiu, assim, chegar à primeira final de sempre. O mais longe que a Croácia tinha atingido num Mundial remonta a 1998, em França, quando conseguiu o terceiro lugar. Agora, 20 anos depois dessa conquista, os croatas estão na final do Mundial da Rússia, onde vão encontrar a França.

Tempo

Multimédia