Desporto

Rivais discutem título em ritmo de pré-época

Anaximandro Magalhães

Apesar de estarem ainda em fase embrionária e em ritmo de pré-época, 1º de Agosto e Petro de Luanda discutem amanhã, a partir das 18h30, no Pavilhão Gimnodesportivo da Cidadela, a conquista da 27ª edição da Supertaça Wlademiro Romero em basquetebol sénior masculino, cuja partida marca a abertura da época 2019/2020.

Fotografia: DR

Com os jogadores distantes da forma desportiva desejada, os dois maiores emblemas desportivos angolanos e principais rivais da bola ao cesto doméstica e africana chegam ao encontro desta noite determinados a erguer o título em homenagem póstuma a um dos artesãos da senda gloriosa da Selecção Nacional e do Petro de Luanda.
A ressentirem-se ainda das cargas físicas ministradas pelos respectivos preparadores, André Nzamba, nos tricolores do Eixo Viário, e Paulo Fernandes, pelos rubro e negros do Rio Seco, os jogadores certamente hão-de fazer emergir nalguns momentos da partida a capacidade técnica individual para desequilibrar o jogo.
Pois as amarras tácticas promovidas pelos técnicos militar, Paulo Macedo, e petrolífero, Lazare Adingono, hão certamente com o decorrer do desafio de dar espaço à criatividade dos virtuosistas em campo para deste modo arregalar os olhos dos espectadores.
A ausência do influente extremo-base de nacionalidade norte-americana, Emanuel Amauris “Manny Quezada”, 1,88 metros reduz o poderio ofensivo e será um teste para os rubro e negros, sobretudo pelo facto de o atleta em referência marcar em média 25 pontos por jogo.
Jamal Samuels, extremo-poste também ele norte-americano, recém contratado, apesar de já se encontrar no país não será opção para treinador dos agostinos. Aliás, o próprio assumiu: “não fez sequer um treino com a equipa. Vamos jogar com quem treinou durante seis semanas.”
Reforçados com as contratações dos postes internacionais angolanos Jone Pedro, 2,08 metros e Valdelício Joaquim “Vander”, 2,11, a formação tricolor, mesmo sem contar com os préstimos de qualquer jogador estrangeiro, dispõe de mais alternativas para abordagem do jogo interior.
Olímpio Cipriano, extremo de 1,92 metros que esteve em Portugal a acompanhar a esposa em tratamento médico, já é opção para Adingono. O atleta foi dado pelo treinador do Petro, bem como pelo capitão Leonel Paulo como estando fora das escolhas. Chegadas ao encontro nas vestes de campeão nacional, Petro de Luanda, e de detentores do troféu em despique, 1º de Agosto, as duas equipas repartem de modo equitativo o favoritismo. Nos números, os petrolíferos somam seis taças contra 13 dos militares.
Macedo pode fazer alinhar: Pedro Bastos, Carlos Cabral “Ketson”, Mohamed Malick Cissé, Edson Ndoniema “Lappa”, Armando Costa, Felizardo Ambrósio “Miller”, Mutau Fonseca, Eduardo Mingas, Tarcio Domingos, Hermenegildo “Gildo” Santos, Islando Manuel “Papa Ngulo” e Gilson Bango.
Por sua vez, Lazare tem disponíveis Joaquim Pedro “Quinzinho”, Childe Dundão, Valdelício Joaquim “Vander”, Carlos Morais, José António “Zé Té”, Benvindo Quimbamba, Gerson “Lukeny” Gonçalves, Leonel Paulo, Aboubakar Gakou, Hermenegildo Mbunga, Jone Pedro e Aldemiro João “Vander”.

Adingono garante prontidão
Lutonda promete contrariar

Armindo Pereira

O treinador da equipa sénior masculina do Petro de Luanda, Lazare Adingono garantiu que o grupo está pronto e preparado para vencer o 1º de Agosto, cujo técnico-adjunto Miguel Lutonda promete contrariar o favoritismo do adversário na partida de amanhã às 18: 30h30, referente à Supertaça Wlademiro Romero, a disputar-se no Pavilhão Gimnodesportivo da Cidadela.
O técnico dos campeões nacionais fez a afirmação ontem, na sede da Federação Angolana de Basquetebol, durante a conferência de imprensa de lançamento da 27ª edição da prova que marca a abertura da época 2019/2020.
"Queremos apresentar um bom basquetebol e ganhar todas as competições em que estivermos engajados. Esse é o desejo da equipa técnica, da direcção do clube bem como dos nossos adeptos. Vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance de modo a colocar em prática as metas traçadas", referiu.
Satisfeito com a entrega do jogadores e com a integração dos reforços, Valdelício Joaquim "Vander" e Jone Pedro, o treinador da formação tricolor sublinhou: "tecnicamente falando o plantel do Petro de Luanda ainda não está fechado", disse sem no entanto avançar mais detalhes.
Por sua vez, Miguel Lutonda, adjunto de Paulo Macedo assegurou que o objectivo é contrariar o favoritismo do arqui-rival. O antigo internacional destacou o facto dos militares não terem realizado qualquer sessão de treino no palco do jogo.
"O Petro tem feito a sua preparação neste pavilhão mas a nossa pretensão passa por levar a melhor. Estamos em início de época, não vamos ter a equipa no pico da forma desportiva mas os jogadores estão compenetrados e focados em erguer a Supertaça", disse.

Tempo

Multimédia