Desporto

Sebastian Vettel regressa às vitórias em Singapura

Sebastian Vettel, em Ferrari, venceu o Grande Prémio de Singapura, 15ª etapa do Mundial de Fórmula 1 de 2019. O alemão estreou-se a ganhar na temporada – no Canadá, viu a bandeira de xadrez.

Piloto alemão ficou 392 dias sem conhecer o sabor da vitória
Fotografia: DR

A penalização de 5 segundos por condução anti-desportiva colocou-o na segunda posição, atrás de Lewis Hamilton – e venceu a 53ª corrida da carreira na categoria mais importante do desporto automóvel, acabando com um jejum de triunfos que durava há 392 dias (e 22 corridas), desde o primeiro lugar na Hungria-2018.
Vettel tornou-se o piloto mais bem-sucedido no circuito Marina Bay, com cinco vitórias em 12 edições do GP de Singapura. O piloto alemão de 32 anos iniciou a corrida de 61 voltas no terceiro lugar, mas parou primeiro do que os rivais para a mudança de pneus e, depois de cumpridas todas as operações nas boxes, encontrava-se em primeiro, à frente do companheiro de equipa Charles Leclerc, que arrancou da ‘pole position’ e comandou a primeira parte da prova.
Leclerc acabou em segundo e, assim, a Ferrari tornou-se o primeiro construtor com os dois carros nas duas primeiras posições em 12 edições do GP de Singapura. Foi a 82ª dobradinha da Scuderia na história do Mundial, contra as 51 da Mercedes, mas apenas a primeira desde a Hungria-2017 (Vettel 1º e Räikkönen 2º). Os italianos conseguiram, igualmente, a terceira vitória consecutiva, o que acontece pela primeira vez desde 2008.
Max Verstappen, em Red Bull-Honda, terminou na terceira posição, à frente dos Mercedes de Hamilton e Valtteri Bottas. Lewis mantém o comando do Mundial, com 296 pontos, mais 64 do que o parceiro de equipa. Leclerc subiu para o terceiro, com 200 pontos.

Tempo

Multimédia