Desporto

Selecção Nacional defronta as anfitriãs no “Mohamed V”

Teresa Luís| Rabat

Angola e Marrocos centralizam hoje, a partir das 14h00, as atenções da terceira jornada do Grupo A do torneio da 12ª edição dos Jogos Africanos, em andebol sénior feminino, quando jogarem no Pavilhão “Mohamed V”, na cidade marroquina de Casablanca.

“Sete” feminino pretende somar mais pontos no confronto com as donas da casa
Fotografia: M.Machangongo | Edições Novembro

Apesar de jogar em casa das adversárias, o “sete” nacional está focado na conquista dos dois pontos e, consequentemente, assumir a liderança do grupo. Embora contem com o apoio do seu público, as marroquinas estão cientes de que defrontam uma candidata ao título. 

Cautelas recomendam-se, para não perderem por uma margem considerável de golos. Se por um lado, as Pérolas só acumularam vitórias no torneio, por outro, o técnico marroquino tem a dura missão de motivar a equipa, após a derrota averbada diante das congolesas democráticas.
Na outra partida do Grupo A, a Guiné Conacri mede forças com o Congo Democrático, às 16h00. Quénia-Camarões, às 14h00, e Argélia-Tunísia, às 18h00, são os desafios da Série B.
Ontem, as Pérolas cilindraram a Nigéria, por expressivos 33-16, com o parcial de 16-7, ao cabo dos primeiros 30 minutos. A superioridade das comandadas de Morten Soubak ficou evidente logo no início do encontro.
As campeãs africanas souberam explorar as fragilidades das nigerianas, que se mostram muito perdulárias, nos distintos momentos do jogo. Soubak deu-se ao luxo de por alguns minutos sentar e cruzar as pernas, enquanto o técnico da Nigéria não parava de gesticular.
Ainda ontem, as congolesas cilindram as marroquinas por 45-25, Camarões venceu o Uganda por 43-22 e a Tunísia derrotou o Quénia por 43-26.
Em masculinos, depois da pausa de ontem, a Selecção Nacional defronta hoje, às 12h00, a similar do Burkina Faso, para a terceira ronda do Grupo B. Depois do desaire na jornada passada, em que perderam com o Congo Democrático pela margem mínima de um golo, os burkinabes encaram na partida com os “Guerreiros” a oportunidade para facturar pontos.
Para o efeito, precisam de apresentar-se ao mais alto nível, pois Filipe Cruz e comandados ambicionam o mesmo. No outro desafio, o Congo Democrático joga diante da Argélia, às 16h00, ao passo que para o Grupo A, a Guiné Conacri defronta duas horas depois Marrocos.
Ontem, o Egipto venceu a Guiné Conacri, por 42-22, o Congo Democrático derrotou o Burkina Faso, por 29-28, e a Argélia ganhou à Nigéria, por 24-22.

Karatecas entram na fase derradeira de preparação

Em véspera do arranque do torneio de karaté, no sábado, nos 12º Jogos Africanos de Rabat, os atletas angolanos ultimam a preparação, com vista a conquista de medalhas, no Pavilhão Multiusos “ Prince Moulay Abdallah”.
À semelhança de Angola, Marrocos, Egipto e Camarões são os principais candidatos ao pódio. Em declarações à imprensa, o técnico Carlos João garantiu que o grupo está pronto para competir. “Os treinos decorrem sem sobressaltos. Nesta fase o grupo já está pronto. Vamos competir com três atletas de categoria pesada. Contamos com Aldovandi Muhongo, nos -74 kg, Tuissana Daniel -84 e Adilson Neto+ 84. Os Jogos de Rabat são mais uma etapa, das várias que temos para nos qualificar para Toquio’2020”.
Carlos João fez saber que os egípcios são muito fortes, mas os combates não são iguais. “Combatemos pela última vez no Africano de Brazzaville em 2015. Eles são o alvo a abater. Cada categoria terá mais ou menos 40 a 50 atletas. Portanto, teremos muitos combates”, disse.
Nas vestes de capitão, Adilson Neto assegurou haver equilíbrio em termos competitivos e por essa razão quem se apresentar melhor estará em condições de medalhar.
“Vai ser difícil, mas não é impossível subir ao pódio, embora sem um estágio pré-competitivo. Os níveis motivacionais são altos. As dificuldades vivenciadas no início dos trabalhos fazem parte do passado. Todas as selecções merecem respeito. Se estão aqui, têm valor e vão demonstrá-lo no tatame”, garantiu.

Tempo

Multimédia